12 C
Kóka
sexta-feira, 2024/03/01  5:45
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

João Bosco e o show Cinco Décadas em Canções no Soberano

Nos dias 15 e 16 de dezembro, um dos maiores nomes da música brasileira esteve de volta ao palco do Soberano e, desta vez, celebrando seus 50 anos de carreira. No show “Cinco Décadas em Canções”, voz e violão, o cantor e compositor João Bosco resgatou um extenso repertório de sucessos que o consagraram ao longo dessas cinco décadas.

Nos dias 15 e 16 de dezembro, um dos maiores nomes da música brasileira esteve de volta ao palco do Soberano e, desta vez, celebrando seus 50 anos de carreira. No show “Cinco Décadas em Canções”, voz e violão, o cantor e compositor João Bosco resgatou um extenso repertório de sucessos que o consagraram ao longo dessas cinco décadas.

João Bosco Mucci, compositor, cantor e instrumentista, nasceu em Ponte Nova MG, em 13/07/1946. A mãe tocava piano e violino, como a irmã, que era crooner no clube de Ponte Nova. Cresceu ouvindo todo o tipo de música e , ainda garoto, foi crooner e ritmista do conjunto do saxofonista Mafra Filho. Depois passou a cantar rock no conjunto X-Garey, mais tarde chamado Os Charm Boys, que formou com um grupo de amigos.

Foi estudar engenharia em Ouro Preto MG, em 1962, onde viveu em repúblicas de estudantes, sempre tocando violão. Conheceu, cinco anos mais tarde, Vinícius de Moraes, com quem compôs uma série de músicas: Samba do pouso, Rosa dos ventos, O Mergulhador e outras. Interessou-se pelo trabalho de Aldir Blanc em 1969, ao vê-lo pela televisão apresentar-se num festival e, no ano seguinte, passando férias no Rio de Janeiro RJ, conheceu o letrista, com quem, desde então, passou a trocar fitas, fazendo parcerias a distância: um no Rio de Janeiro, outro em Ouro Preto.

Em 1972, cantou e tocou violão na primeira gravação de uma música da dupla: Agnus Sei, lançada no primeiro Disco de Bolso, produzido pelo semanário O Pasquim, que lançava também Águas de Março. Nesse mesmo ano, terminou o curso de engenharia, profissão que nunca exerceu, transferiu-se para o Rio de Janeiro e começou a se dedicar exclusivamente à música.

A primeira composição da dupla a fazer sucesso foi Bala com bala, incluída no LP que Elis Regina gravou ainda em 1972 pela Phillips. No ano seguinte gravou seu primeiro LP, na etiqueta RCA Victor, tocando violão e cantando músicas da dupla, entre as quais Agnus sei, Bala com bala e Cabaré. Novas composições dos dois parceiros apareceram no LP de Elis Regina gravado em 1974 pela Phillips: O Mestre-sala dos mares, Dois pra lá, dois pra cá, Caça à raposa.

Já com o público garantido, saiu em 1975 o segundo LP, Caça à raposa, também pela RCA Victor. Uma das músicas nele incluídas foi Kid Cavaquinho, que já havia sido gravada, com sucesso, pela cantora Maria Alcina. Nos anos 80 e 90, depois de encerrar sua parceria com Aldir Blanc, passa a atuar mais freqüentemente como cantor.

Bosco encontra outros parceiros como Capinam em Papel machê, outro grande sucesso, Waly Salomão e Antônio Cícero em Holofotes, além do filho do poeta, Francisco Bosco, com quem compôs ás faixas do disco As mil e uma aldeias. Em 1988 compôs a trilha do balé Benguelê, do Grupo Corpo, apresentado no Rio, São Paulo, Belo Horizonte e em festivais internacionais.Na Quinta-feira foi a apresentação de Guido Fiorini e Rodrigo Fiorini.

O Luva se tornou realidade em 2009 oriundo dos encontros de Rodrigo Fiorini e Elanir Fiorini, essa, viúva de Luvercy Fiorini. Rodrigo, no final de 2007, estava produzindo um disco de sua banda pop e surgiu a ideia de colocar músicas de autores conhecidos, para dar um “peso” ao trabalho. Veio à mente Luvercy Fiorini. Rodrigo ligou para Elanir Fiorini e marcou um encontro para ver letras não musicadas. Diante de tamanha beleza e magnitude, surgiu a paixão e a ideia de compilar toda a obra de Luvercy Fiorini, seus parceiros e lançar músicas inéditas nunca antes ouvidas.

Luvercy Fiorini (o “Luva”) foi um dos primeiros letristas da bossa-nova. Suas composições com os irmãos Castro Neves – Oscar (“Menina feia”, “Chora tua tristeza”) e Iko (“Gosto do seu olhar”) logo se transformaram em clássicos da bossa-nova. Luvercy também cômpos com Oscar a música “Morrer de amor” e “Onde está você” que, na voz de Alayde Costa, se transformaram em clássicos, gravados inclusive por Sarah Vaughan.

Happy-hour e after show

As atrações musicais, de quinta à sábado, combinadas com o sofisticado cardápio, ganham ainda mais sabor com os projetos “Soberano Before” (happy hour das 17h às 19h, descontos de 50% em drinks e chopp) e “Soberano After” (com DJs e pista de dança, ingresso revertido em consumação). Ou seja, a aconchegante casa, de arquitetura moderna rodeada de muito verde no centro da cidade de Itaipava (RJ) – já  referência de boa música, teatro, arte e gastronomia –oferece também outras opções, seja para quem quer relaxar após o expediente, ou mesmo para quem quer se divertir até mais tarde.

A programação completa e ingressos à venda em: www.soberanoitaipava.com.br. O Cliente Soberano que quiser se hospedar na região, tem desconto na Pousada Tucano de Cuiabá, com direito a uma garrafa de espumante como brinde de boas-vindas.

Sobre o Soberano

Idealizada pelo casal de proprietários Raquel e Sérgio Saraceni, moradores da região de Itaipava em Petrópolis desde 2014, o Soberano abriga música e teatro de excelência. Inaugurado há pouco mais de um ano, a casa oferece em seu espaço físico diversos ambientes que inclui o reservado Espaço Havana, dedicado aos amantes da charutaria, o Espaço Ruy Castro, dedicado à gastronomia e à cultura, em uma varanda externa, além da sala de espetáculos, cujo conforto, acústica e iluminação a faz ser considerada uma dos melhores do país, tendo recebido nomes como Ivan Lins, João Bosco, Edu Lobo, Adriana Calcanhoto, Lenine, Guinga entre tantos outros, além de espetáculos estrelados por Maitê Proença e Clarice Niskier.

Gastronomia

O ar intimista que vem cativando ícones da nossa música se traduz em um ambiente com pista e mezanino para 100 espectadores sentados.  Além de se destacar em arte e música no Brasil, o Soberano tem como proposta levar a cada cliente uma experiência sublime, através da sua gastronomia diferenciada – pensada para agradar a um público exigente, mas de maneira delicada, e a harmonizar com as bebidas, sobretudo com os vinhos da casa.

O cardápio é variado, com opções veganas e as sobremesas com técnicas francesas adaptadas, dão o toque especial a experiência gastronômica. A paleta de cordeiro caiu nas graças de Edu Lobo, passando a figurar no cardápio com seu nome. Para quem gosta de apreciar bons vinhos, o Soberano possui uma adega climatizada e oferece uma carta de drinks variados e charutos selecionados, que podem ser degustados no Espaço Havana.

Soberano Before – Happy Hour

Quinta a sábado, das 17h às 19h

50% OFF em drinks e chope

DJ ou playlist

Soberano After

Quinta a sábado a partir das 22:30h

DJ e Pista de Dança

R$60 – Ingresso Consumação (todo o valor é revertido em consumo)

Serviço: Soberano

Local: Estrada União e Indústria, 11.000, loja 104 – Shopping Estação Itaipava, Petrópolis-RJ.

Reservas e ingressos

Horários de atendimento pelo Whatsapp 24 2237-6339

Quarta 10h às 16h;

Quinta, Sexta e Sábado 13h às 01h.

Horários de funcionamento do Soberano:

Quinta, Sexta e Sábado 17h às 01h.

Ingressos à venda no site https://soberanoitaipava.com.br/

*O bistrô do Soberano funciona de quinta a sábado

• Quinta a sábado das 12h à meia-noite;

A casa conta com segurança, estacionamento privativo com 160 vagas e acessibilidade em rampas e banheiros.

Instagram:https://www.instagram.com/soberanoitaipava/

Facebook:https://www.facebook.com/soberanoitaipava

Fábio Cezanne:

Cezanne Comunicação – Assessoria de Imprensa em Cultura e Arte

21-99197-7465 / 21-3439-0145
Cleo Oshiro
Últimos posts por Cleo Oshiro (exibir todos)