5.7 C
Kóka
quinta-feira, 2024/04/25  7:18
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Partido Liberal Democrata do Japão punirá 39 membros por escândalo de arrecadação de fundos

Membros do partido envolvidos em esquema de propina em vendas de ingressos de arrecadação serão penalizados.

Tóquio, Japão, 2 de abril de 2024 (NHK) – O principal partido governante do Japão, o Partido Liberal Democrata (Liberal Democratic Party – LDP), anunciou que punirá 39 de seus membros devido a um escândalo de arrecadação de fundos envolvendo algumas de suas facções.

Os membros em questão foram acusados de receber propinas da venda de ingressos para eventos de arrecadação de fundos e de não declarar receitas. Entre eles, estão quatro executivos da maior facção do partido, outrora liderada pelo falecido Primeiro-Ministro Abe Shinzo, e outros que deixaram de declarar mais de 5 milhões de ienes, cerca de 33.000 dólares, ao longo dos cinco anos até 2022.

O Secretário-Geral do LDP, Motegi Toshimitsu, explicou o plano em uma reunião executiva na segunda-feira (1). Mais tarde, ele se encontrou com o chefe do comitê de ética do partido para solicitar que o comitê discutisse as penalidades.

Os líderes do LDP planejam impor penalidades mais severas aos executivos da facção de Abe. As penalidades em consideração são: serem solicitados a deixar o partido – a segunda medida mais pesada no sistema de punição de oito níveis do partido – uma suspensão da qualificação como membro do partido, uma não-endorsamento em uma eleição e uma repreensão.

Os líderes do LDP não punirão o veterano parlamentar Nikai Toshihiro, que anunciou que não concorrerá nas próximas eleições gerais.

Os parlamentares que deixaram de declarar menos de 5 milhões de ienes serão advertidos por Motegi, o Secretário-Geral do LDP.

O comitê de ética realizará uma reunião já na quinta-feira para decidir sobre as punições.