5.7 C
Kóka
quinta-feira, 2024/04/25  6:27
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Especialistas do Japão e China discutem liberação de água tratada de Fukushima Daiichi

Ministério das Relações Exteriores do Japão revela diálogo entre especialistas do Japão e China sobre a liberação de água tratada e diluída no mar a partir da usina nuclear de Fukushima Daiichi.

Tóquio, Japão, 31 de março de 2024 (Kyodo) – O Ministério das Relações Exteriores informa que especialistas do Japão e China realizaram discussões sobre a liberação de água tratada e diluída no mar a partir da danificada usina nuclear de Fukushima Daiichi.

O ministério afirma que a reunião ocorreu em Dalian, nordeste da China, no sábado (30). Autoridades do governo japonês, representantes da Tokyo Electric Power Company – TEPCO, que opera a usina, e representantes de diversos institutos de pesquisa chineses participaram.

A reunião foi realizada em resposta a um acordo alcançado em uma cúpula Japão-China em novembro do ano passado. Os líderes dos dois países concordaram em encontrar maneiras de resolver o problema por meio de negociações e diálogo.

Esta é a primeira vez que o ministério divulga informações sobre as conversas.

Fontes afirmam que os participantes trocaram opiniões do ponto de vista técnico.

Dizem que os participantes japoneses forneceram explicações baseadas em evidências científicas. A parte japonesa teria descrito o sistema que está sendo usado para monitorar a liberação da água tratada e diluída. As fontes dizem que os participantes japoneses também explicaram que estão comprometidos em garantir que o trabalho seja realizado com segurança e transparência.

Para monitorar a segurança da operação, a Agência Internacional de Energia Atômica vem conduzindo sua própria pesquisa de amostragem em Fukushima desde que o operador da usina começou a liberar a água no Pacífico em agosto do ano passado.

O governo japonês planeja continuar realizando conversas bilaterais desse tipo. O governo também pretende continuar solicitando à China que suspenda a proibição que impôs às importações de frutos do mar do Japão.