12 C
Kóka
sexta-feira, 2024/03/01  6:18
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Tensão crescente nas Filipinas sobre pedidos de secessão de Mindanao

Presidente atual e ex-presidente das Filipinas discordam sobre possíveis planos de secessão da ilha de Mindanao, gerando tensões políticas.

Manila, Filipinas – 08 de fevereiro de 2024 – Uma divergência entre o atual e o ex-presidente das Filipinas está aumentando. A administração de Ferdinand Marcos Jr. está resistindo aos apelos de seu antecessor, Rodrigo Duterte, para que a ilha de Mindanao, no sul, se separe.

Duterte realizou uma coletiva de imprensa e delineou planos para lançar uma campanha pela independência de Mindanao, onde se localiza sua cidade natal.

A mídia local sugere que o movimento pode ser uma tentativa de Duterte de se manter fora da investigação do Tribunal Penal Internacional sobre sua chamada “guerra às drogas”. A brutal repressão antidrogas deixou milhares de mortos.

As Filipinas deixaram o tribunal internacional em 2019. Mas no ano passado, o tribunal autorizou a retomada de sua investigação. Dizem que Duterte afirmou que, se Mindanao se separar das Filipinas, o TPI não poderá mais intervir.

O Conselheiro de Segurança Nacional das Filipinas, Eduardo Ano, criticou a ação de Duterte. Ele disse que o governo não hesitará em reprimir qualquer tentativa de desmembrar a República.

Mindanao enfrentou mais de quatro décadas de violência e conflito, enquanto terroristas  islâmicos entraram em conflito com as forças governamentais. Eles buscavam independência da nação, predominantemente, católica.

As duas partes concordaram com um acordo de paz em 2014. A região deverá estabelecer um governo autônomo no próximo ano.