5.7 C
Kóka
quinta-feira, 2024/04/25  6:45
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Leito marinho que se elevou no terremoto de Noto é estudado para reconstrução portuária

Autoridades da Agência de Pesca do Japão avaliam porto de pesca na Península de Noto, afetado por elevação do leito marinho após terremoto

Suzu City, Japão – 29 de fevereiro de 2024 (Agência de Pesca do Japão) – Autoridades da Agência de Pesca do Japão estão realizando uma avaliação no porto de pesca na Península de Noto, onde um poderoso terremoto no Dia de Ano Novo elevou o leito marinho.

Alguns portos na Península de Noto, localizada na província de Ishikawa, no centro do Japão, ficaram inacessíveis para barcos de pesca devido à água agora estar muito rasa.

O porto de Noroshi, na cidade de Suzu, é controlado pelas autoridades provinciais, mas o trabalho para repará-lo será realizado pelo governo central.

Na quarta-feira (28), funcionários da Agência de Pesca começaram a medir a profundidade da água no porto.

O procedimento envolve o uso de um laser em um drone aéreo para medir o intervalo de tempo entre o reflexo na superfície da água e no leito marinho.

As medições mostram que a água perto do cais, que costumava ter 4,5 metros de profundidade, agora está cerca de 1,5 metros mais rasa.

Algumas áreas perto do quebra-mar estavam tão rasas que nem mesmo barcos pequenos podiam acessá-las.

O porto de Noroshi era fundo o suficiente para barcos de pesca de 500 toneladas, pois é designado como porto de refúgio em caso de mar agitado.

Após a avaliação, a agência planeja escavar ou dragar áreas que se tornaram rasas.

Um funcionário disse que a equipe espera aplicar o conhecimento adquirido através do trabalho em Noroshi para restaurar outros portos.

Ele afirmou que a agência pretende tornar o porto utilizável para pescadores, mesmo que seja lento.