12 C
Kóka
sexta-feira, 2024/03/01  7:08
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Falece aos 88 anos o mundialmente renomado maestro Ozawa Seiji

Ozawa Seiji, regente japonês de renome internacional, morre aos 88 anos em Tóquio.

Tóquio, Japão – 10 de fevereiro de 2024 – O renomado maestro japonês Ozawa Seiji faleceu de insuficiência cardíaca em sua residência em Tóquio, na última terça-feira (6). Ele tinha 88 anos de idade.

Nascido em 1935 na então chamada Manchúria, atual nordeste da China, o mundialmente aclamado maestro retornou ao Japão aos cinco anos de idade e começou a tocar piano quando ainda estava na escola primária.

Após ingressar na Escola de Música Toho Gakuen, em Tóquio, Ozawa estudou regência com Saito Hideo, que foi professor de diversos maestros renomados.

Aos 23 anos, mudou-se para a França em busca de aprimoramento musical. Conquistou o primeiro lugar em um concurso local para regentes e passou a estudar sob a tutela do lendário maestro Herbert von Karajan.

Sua habilidade musical também impressionou o maestro americano Leonard Bernstein. Aos 25 anos, Ozawa tornou-se regente assistente da Filarmônica de Nova York e conduziu várias outras orquestras de renome mundial, incluindo a Filarmônica de Viena.

Ozawa serviu por 29 anos, a partir de 1973, como diretor musical da Orquestra Sinfônica de Boston. Posteriormente, tornou-se diretor musical da Ópera Estatal de Viena.

No Japão, contribuiu para a fundação da Nova Orquestra do Japão em 1972. Estabeleceu a Orquestra Saito Kinen em memória de seu antigo professor Saito Hideo e organizou um festival de música.

Em 2008, Ozawa recebeu a Ordem da Cultura do Japão.

Ele continuou a se apresentar esporadicamente desde que passou por uma cirurgia para câncer de esôfago em 2010.

Em 2022, ele regenciou uma orquestra pela primeira vez em três anos na cidade de Matsumoto, na prefeitura de Nagano, região central do Japão. Foi antes de um concerto para comemorar o 30º aniversário do Festival Seiji Ozawa Matsumoto, que ele dirigiu. Essa foi sua última apresentação pública.

A Filarmônica de Viena emitiu uma declaração expressando condolências pelo falecimento do maestro.

O texto descreve Ozawa como “um dos grandes regentes de nosso tempo”. Eles afirmam: “Olhamos com gratidão e amor para muitos concertos e óperas juntos, especialmente em nossas turnês pelo Japão”.

A Filarmônica de Berlim também postou uma mensagem em japonês nas redes sociais na sexta-feira, acompanhada de uma foto de Ozawa regendo a orquestra.

Eles expressaram suas sinceras condolências a Ozawa, que era um amigo e membro honorário da orquestra.