25.6 C
Kóka
quinta-feira, 2024/06/20  6:44
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Biden diz que ele e Macron concordam sobre uso de ativos russos para ajudar Ucrânia

Líderes discutiram utilização de lucros de ativos russos congelados para apoiar Kiev.

Paris, França, 11 de junho de 2024 (Agência de Notícias EFE) – O presidente dos EUA, Joe Biden, diz que chegou a um acordo com o presidente francês, Emmanuel Macron, sobre como usar lucros de ativos russos congelados para ajudar a Ucrânia.

Questionado por um repórter no domingo (9) se havia discutido o assunto com Macron e chegado a um acordo, Biden respondeu: “Sim, e sim”.

Porém, Biden, que estava na França, não revelou os detalhes.

O Grupo dos Sete países mais ricos está considerando usar os lucros gerados pelos ativos congelados do banco central russo para apoiar a Ucrânia. Os ativos foram imobilizados para sancionar a Rússia por sua invasão à Ucrânia.

Os Estados Unidos estimam que os ativos congelados renderão lucros de 3 a 5 bilhões de dólares por ano. O país quer usar os lucros como garantia para fornecer até 50 bilhões de dólares em empréstimos à Ucrânia.

Os líderes dos países do G7 devem discutir o assunto em sua cúpula, que começará na Itália na próxima quinta-feira (13).

A utilização dos lucros de ativos russos congelados para financiar a Ucrânia é vista como uma forma de aumentar a pressão econômica sobre Moscou e apoiar os esforços de guerra de Kiev, sem envolver diretamente os países ocidentais no conflito.

Biden e Macron conversaram sobre o tema durante a visita do presidente americano a Paris no fim de semana, buscando uma abordagem coordenada entre aliados para lidar com as consequências da guerra na Ucrânia.