5.7 C
Kóka
quinta-feira, 2024/04/25  6:25
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Presidente do Irã promete retaliar por ataque mortal à embaixada na Síria

Ebrahim Raisi enfatiza intenção de tomar medidas retaliatórias após ataque à embaixada do Irã na Síria.

Teerã, Irã, 3 de abril de 2024 (Persian Times) – O Presidente do Irã, Ebrahim Raisi, enfatizou sua intenção de tomar medidas retaliatórias após um ataque mortal à embaixada do Irã na Síria, realizado por Israel.

Raisi declarou em um comunicado emitido na terça-feira (2), que Israel deve saber que nunca alcançará seus “objetivos malignos” com tais “ações desumanas”. Ele afirmou que o ataque de Israel “não ficará sem resposta”.

Sua declaração veio um dia depois de a mídia estatal do Irã relatar que um ataque com mísseis israelenses destruiu uma seção consular do complexo da embaixada iraniana na capital síria, Damasco.

O ataque aéreo, segundo relatos, matou um comandante sênior, seu vice e outros cinco oficiais. O comandante pertencia à Força Quds do Corpo de Guardas Revolucionários Islâmicos, uma unidade responsável por operações treinar terroristas fora do Irã.

O Ministro das Relações Exteriores iraniano, Hossein Amir-Abdollahian, disse nas redes sociais que enviou uma mensagem aos Estados Unidos dizendo que os EUA devem ser responsabilizados como apoiadores de Israel. Ele disse que entregou a mensagem a um funcionário da embaixada suíça. A embaixada representa os interesses dos EUA no Irã, já que Teerã não mantém relações diplomáticas com Washington.

O site de notícias americano Axios relatou que um alto funcionário dos EUA disse ao Irã que os Estados Unidos não estavam envolvidos no ataque à embaixada.

Os ataques à Síria, supostamente conduzidos por Israel, têm se intensificado desde que eclodiram confrontos entre as forças israelenses e o grupo terrorista islâmico Hamas, apoiado pelo Irã, em outubro passado.

Membros do Corpo de Guardas Revolucionários do Irã e outros oficiais foram mortos em uma série de ataques. No entanto, é a primeira vez que o complexo diplomático é alvo.

As preocupações estão aumentando de que o incidente mais recente possa escalar ainda mais a tensão no Oriente Médio. O Irã também apoia o grupo terrorista xiita Hezbollah, baseado no Líbano, e o grupo Houthi anti-governo no Iêmen. Ambos continuam atacando Israel em solidariedade ao Hamas.