22.2 C
Kōnan
domingo, 25 de setembro de 2022

Proíbir meninas de frequentar escola secundária custa 500 milhões de dólares à economia afegã

A agência da ONU para a infância afirma que a economia afegã perdeu cerca de 500 milhões de dólares por causa do acesso limitado à educação das meninas no Afeganistão, no último ano.

Últimas Estatísticas do Coronavírus no Japão

Proíbir meninas de frequentar escola secundária custa 500 milhões de dólares à economia afegã

A agência da ONU para a infância afirma que a economia afegã perdeu cerca de 500 milhões de dólares por causa do acesso limitado à educação das meninas no Afeganistão, no último ano.

O Talibã não permitiu que as escolas secundárias para meninas reabrissem, desde que assumiu o poder, em 15 de agosto do ano passado, sob a interpretação própria da lei islâmica do grupo.

A UNICEF divulgou o relatório na segunda-feira (15), exatamente um ano após o grupo islâmico ter assumido o controle do país.

A agência diz que manter as meninas fora da escola secundária custou ao Afeganistão 500 milhões de dólares, ou 2,5% de seu produto interno bruto para 2020.

O relatório também diz que se os 3 milhões de meninas que atualmente estão fora da escola conseguissem concluir seus estudos secundários e participar do mercado de trabalho, meninas e mulheres contribuiriam com pelo menos 5,4 bilhões de dólares para a economia afegã durante suas vidas.

O relatório também aborda os impactos negativos de as meninas não conseguirem retornar ao ensino médio em outras áreas além da economia. A UNICEF diz que está lutando para alcançar as meninas, para dar apoio nutricional e informações sobre higiene que ela costumava fornecer nas escolas.

Um funcionário da UNICEF apela para o retorno imediato das meninas às escolas, dizendo que a educação não é apenas um direito de todas as crianças, mas a espinha dorsal para o crescimento futuro do Afeganistão.

SourceNHK

Artigos relacionados

ÁSIA

spot_imgspot_img
Translate »