Radicado nos EUA, Luiz Santos lança o álbum Fusion Tribe

Luiz Santos lança o álbum Fusion Tribe (Tribo da Fusão), combinando o criativo smooth jazz, funk, com raízes africanas, cubanas e brasileiras, com um toque de flamenco e influências árabes. Com todas as composições e arranjos de Luiz Santos, o músico toca também todos os instrumentos das 12 músicas apresentadas no álbum, misturando percussão brasileira, caribenha, música de câmara e jazz. Radicado nos EUA desde 1998, Luiz Santos viveu em Nova  Iorque ate 2017 e atualmente vive no Oeste.

Seu amor pela música vem desde a infância, resultado da paixão dos seus pais pela música. Eles sabiam quando ouviram Luiz tocar bateria aos nove anos, que ele tinha um talento além da idade. Quanto mais ele tocava, mais ele aspirava a tocar muitos ritmos diferentes.

Como instrumentista autodidata fez sua primeira apresentação profissional aos 13 anos, quando morava no Rio de Janeiro. Surgiram oportunidades para tocar com músicos mais velhos, o que o ajudou a explorar muitos estilos diferentes de música.

Eventualmente começou a se apresentar em todo o Brasil com músicos consagrados como o baixista Arthur Maia, Jovino Santos, Hermeto Pascoal e muitos outros. A paixão de Luiz pela música o impulsionou a começar a compor e arranjar peças orquestrais completas.

Ele também viajou extensivamente pela Europa como parte do projeto musical “Brazil Fusion”. Sua música tornou-se muito procurada, permitindo-lhe tocar em bandas e trabalhar em projetos musicais em vários países, incluindo Alemanha, França, Noruega, Suécia, Holanda, Bélgica, Grécia, Luxemburgo e Itália.

Influenciado pela música de Chick Corea, John Coltrane, Miles Davis, Strawinsky, Debussy, Bartok, Hermeto Pascoal, Egberto Gismonti, Keith Jarrett, Weather Report, Pat Metheny, Elvin Jones, Peter Erskine, Billy Cobham, Tony Williams, Dave Weckl e Steve Gadd, Luiz  cria sabores musicais únicos combinando sons típicos do jazz com percussão clássica e brasileira. Ele também escreveu várias composições, desde jazz a clássica contemporânea, música moderna a quartetos de cordas.

Ele também se apresentou em Nova York tocando com músicos como Richie Goods, Lonnie Plaxico, Benito Gonzalez, Vic Juris, Tim Armacost, Peter Brendler, Russ Nolan, Sean Nowell, Helio Alves, Paul Meyers, Edward Perez, John Benitez, Hector Martignon, Mark Weinstein, Nilson Matta, só para citar alguns.

Luiz já gravou diversos projetos de CD no Rio de Janeiro, todos com composições próprias. Outros músicos em seus projetos de CD incluem: Humberto Mirabelli (Guitarra), Fernando Roza (Baixo), Fernando Trocado (Saxofone Tenor e Flauta), Marcelo Martins (Alto / Saxofone Soprano e Flauta).

A vida é repleta de muitos sons e como um músico talentoso e talentoso, Luiz Santos capta os sons da vida como nenhum outro.

Website: https://www.luizsantos.com/home
Instagram: https://www.instagram.com/luizsantosmusic/

Da Redação by Cleo Oshiro

Artigo anteriorIndonésia suspenderá a proibição de exportação de carvão
Próximo artigoJapão relata 6.438 novos casos de infecção por coronavírus chinês nesta segunda-feira (10)
Sou a Cleo Oshiro, uma mineira que no ano de 2002 optou por viver no Japão com a família. Em 2010 a Revista GVK Internacional no Brasil, especializada em karaokê, me descobriu no Orkut e através da minha paixão pela música e karaokê, decidiram fazer uma matéria sobre minha vida aqui no Japão, afinal foi aqui na cidade de Kobe que ele surgiu e se espalhou pelo mundo. Com a repercussão da matéria, eles me convidaram para ser a Correspondente Internacional da revista no Japão e aceitei o desafio e não parei mais. Fui Colunista Social por 2 anos no Portal Mie/Japão, da Revista Baladas Internacional/ Suiça, na BDCiTV/EUA e na Revista Biografia/ Brasil, realizando entrevistas com várias personalidades do meio artístico. Minhas matérias são para divulgar o trabalho dos artistas, sem apelos sensacionalistas, mesmo porque meu foco é mostrar a imensidão de talentos espalhados pelo mundo sejam famosos ou não. Atualmente faço parte da equipe da Rádio Shiga, onde faço matérias artísticas e sou a idealizadora do programa musical The Best Of Brazilian Music em parceria com o Omote-san. O programa foi suspenso devido problemas interno, mas o tempo em que esteve no ar levava a música brasileira à outros países da Asia. O programa The Best Of Brazilian Music era apresentado em inglês pela DJ Shine Dory, uma filipina apaixonada pela MPB e Bossa Nova. A escolha pelo idioma foi para alcançar japoneses e estrangeiros que vivem no Japão, já que inglês é um idioma universal e os brasileiros já contavam com o acesso as informações dos artistas através das matérias publicadas por mim no site