22.9 C
Kōnan
quinta-feira, 9 de julho de 2020

Proibida a vigília anual do massacre de Tiananmen pela primeira vez

A polícia de Hong Kong proibiu a vigília anual em memória do massacre de 1989 na Praça Tiananmen, no qual Pequim usou a força para reprimir os movimentos estudantis pró-democráticos.

Estatística COVID19 - Coronavírus

Total Global
Última atualização em:
Casos

Mortes

Recuperados

Active

Casos Today

Mortes Today

Critical

Affected Countries

Chuvas torrenciais podem atingir extensas áreas do Japão

Chuvas torrenciais podem atingir extensas áreas do Japão Uma persistente frente de precipitação sazonal pode trazer chuvas torrenciais no oeste e leste do Japão até...

Terremoto de M4.7 atinge a região de Kanto

Terremoto de M4.7 atinge a região de Kanto Um terremoto de magnitude 4,7 atingiu a região de Kanto por volta das 6:05 da manhã desta...

Passa de 150 o número de casos novos do coronavírus chinês no Japão

Passa de 150 o número de casos novos do coronavírus chinês no Japão As autoridades japonesas informaram nesta quarta-feira (8), que mais 157 pessoas foram...

SAAB inicia a produção do Gripen no Brasil

SAAB inicia a produção do Gripen no Brasil A SAAB Aeronáutica Montagens (SAM), primeira fábrica de aeroestruturas da SAAB fora da Suécia para o novo...

China abre novo escritório de segurança em Hong Kong

China abre novo escritório de segurança em Hong Kong A China abriu um novo escritório de segurança em Hong Kong, reforçando ainda mais o seu...

Proibida a vigília anual do massacre de Tiananmen pela primeira vez

A polícia de Hong Kong proibiu a vigília anual em memória do massacre de 1989 na Praça Tiananmen, no qual Pequim usou a força para reprimir os movimentos estudantis pró-democráticos.

A polícia, nesta segunda-feira (1º), notificou um grupo de cidadãos que organiza o evento que não dará permissão para realizar este ano. Eles citaram a preocupação com a propagação do coronavírus chinês como o motivo. É a primeira vez que o evento não será realizado desde o seu início, em 1990.

O evento anual é realizado no dia 4 de junho para lembrar aqueles que foram mortos e para pedir que a verdade venha à tona. Os organizadores dizem que 180.000 pessoas participaram do evento do ano passado.

As pessoas não podem falar sobre o incidente em público na China continental, mas Hong Kong pode realizar manifestações e passeatas sob o princípio de “um país, dois sistemas.”

O grupo cívico, porém, está preocupado que encontros como este possam ser proibidos a partir do próximo ano por causa da legislação de segurança nacional planejada para Hong Kong. No mês passado, Pequim adotou um plano para introduzir a legislação que iria reprimir as atividades anti-governamentais.

Lee Cheuk-yan, que representa o grupo cívico, diz que não vê porque o governo considera inaceitáveis as manifestações políticas enquanto permite a retomada das escolas e karaokes.

Ele culpou o governo de Hong Kong por proibir a reunião, como se a legislação já estivesse promulgada. O organizador planeja realizar uma manifestação on-line na noite de 4 de junho.

SourceNHK World

Artigos relacionados

Japão flexibilizará as restrições sobre as aglomerações

Japão flexibilizará as restrições sobre as aglomerações O governo japonês instruiu as 47 prefeituras do país a tomarem as devidas medidas ao aprovar uma nova...

China abre novo escritório de segurança em Hong Kong

China abre novo escritório de segurança em Hong Kong A China abriu um novo escritório de segurança em Hong Kong, reforçando ainda mais o seu...

EUA restringem vistos a oficiais da China em relação ao Tibete

EUA restringem vistos a oficiais da China em relação ao Tibete O governo dos EUA informa que restringirá os vistos para alguns oficiais chineses porque...

ÁSIA

ÚLTIMAS NOTÍCIAS - BRASIL

SAAB inicia a produção do Gripen no Brasil

0
SAAB inicia a produção do Gripen no Brasil A SAAB Aeronáutica Montagens (SAM), primeira fábrica de aeroestruturas da SAAB fora da Suécia para o novo...
Translate »