28.5 C
Kóka
quinta-feira, 2024/06/20  6:54
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Líderes financeiros do G7 expressam preocupação com excesso de capacidade industrial da China

Comunicado conjunto cita uso de "políticas e práticas não baseadas no mercado" por Pequim.

Stresa, Itália, 26 de maio de 2024 (Agência Ansa) – Os ministros das Finanças e presidentes de bancos centrais dos países do Grupo dos Sete (G7) expressaram preocupações sobre o excesso de capacidade industrial da China.

Pequim é acusada de superproduzir veículos elétricos e outros produtos para vendê-los no exterior a preços injustamente baixos.

As autoridades do G7 divulgaram um comunicado conjunto após dois dias de conversações em Stresa, no norte da Itália, no sábado (25).

O documento afirma: “Expressamos preocupações sobre o uso abrangente pela China de políticas e práticas não baseadas no mercado que minam nossos trabalhadores, indústrias e resiliência econômica”.

O comunicado acrescenta que os oficiais “considerarão tomar medidas para garantir condições equitativas, de acordo com os princípios da Organização Mundial do Comércio”.

Os participantes também discutiram a ideia de apoiar a Ucrânia usando lucros de ativos russos congelados como parte das sanções pela invasão de Moscou ao país.

O documento diz que as autoridades pretendem apresentar opções aos seus líderes antes da cúpula do G7 no próximo mês.

O ministro das Finanças do Japão, Suzuki Shunichi, falou a repórteres. Ele disse que a posição básica de Tóquio é que a lei internacional deve ser obedecida, no que diz respeito ao uso de lucros de ativos da Rússia, pois Moscou é condenada por violar o direito internacional.

As autoridades do G7 permanecem divididas sobre como lidar com os ativos russos. Resta saber até que ponto conseguirão reduzir a divergência até a cúpula.