8 C
Kóka
terça-feira, 2024/04/23  5:19
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Oficial militar de Israel admite morte de reféns por engano na Faixa de Gaza

Chefe das Forças de Defesa de Israel reconhece responsabilidade total em incidente que resultou na morte de três reféns que agitavam bandeira branca. Famílias reagem com indignação enquanto governo enfrenta críticas por operações militares.

Tel Aviv, Israel – 17 de dezembro de 2023 – O Chefe do Estado-Maior das Forças de Defesa de Israel, Tenente-General Herzi Halevi, admitiu em um comunicado em vídeo no sábado (16), que três reféns israelenses foram, erroneamente mortos, por suas tropas no nordeste da Faixa de Gaza enquanto agitavam uma bandeira branca.

Halevi assumiu a total responsabilidade pelo incidente, reconhecendo que os reféns estavam sem camisa para evitar suspeitas de transportar explosivos, e um deles agitava um pano branco para indicar que eram não combatentes. Ele enfatizou que é proibido atirar em alguém que busca se render enquanto agita uma bandeira branca e comprometeu-se a implementar medidas para evitar recorrências.

Mais de 130 reféns ainda estão detidos na Faixa de Gaza, e as famílias dos reféns reagiram com veemência enquanto o governo prossegue com as operações militares. Alguns pedem a retomada das negociações para a libertação dos prisioneiros.

Enquanto isso, o Hamas divulgou um vídeo nas redes sociais, aparentemente para pressionar Israel a se envolver em negociações. O grupo afirmou que os reféns estão morrendo devido aos ataques israelenses.

O Wall Street Journal, no sábado, citou fontes, afirmando que o chefe da agência de inteligência Mossad, de Israel, se encontrou na Noruega com o primeiro-ministro e ministro das Relações Exteriores do Catar, Sheikh Mohammed bin Abdulrahman Al Thani. O primeiro-ministro atuou como mediador nas negociações anteriores entre Israel e o Hamas sobre cessar-fogo e libertação de reféns.

O jornal norte-americano também informou que o chefe do Mossad, provavelmente, se reunirá com autoridades egípcias, que também intermediaram as negociações.

As tropas israelenses continuaram seus ataques na Faixa de Gaza no sábado. A agência de notícias Reuters relata que 20 pessoas foram confirmadas mortas em ataques aéreos a um hospital em Khan Yunis.

Várias mortes e feridos também foram relatados em ataques a um prédio no norte da Cidade de Gaza, que abrigava centenas de deslocados.