9.4 C
Kōnan
domingo, 5 de fevereiro de 2023

Mais nações reforçam as medidas para combater a nova variante do coronavírus chinês

A Itália juntou-se a outros países e áreas onde casos de uma nova variante do coronavírus, conhecida como Omicron, foram relatados pela primeira vez.

Mais nações reforçam as medidas para combater a nova variante do coronavírus chinês

A Itália juntou-se a outros países e áreas onde casos de uma nova variante do coronavírus, conhecida como Omicron, foram relatados pela primeira vez.

Os casos de Omicron haviam sido confirmados em várias outras nações da Europa e em outros lugares, incluindo Israel. A variante foi inicialmente detectada na África do Sul.

Países em todo o mundo estão intensificando as medidas para tentar bloquear a variante.

A Organização Mundial da Saúde – OMS, designou a Omicron como uma “variante de preocupação”. Ela ainda não descobriu se a variante se espalha mais rapidamente do que outras, se causa doenças graves, ou quão eficazes as vacinas são contra ela.

Entre os locais onde foram relatados casos de Omicron estão Botsuana, um vizinho da África do Sul, Hong Kong, Israel, bem como Grã-Bretanha, Alemanha, Bélgica e agora Itália.

O governo italiano informa que um viajante que voltou de Moçambique, na África, foi infectado pela Omicron.

Na Holanda, 61 passageiros de companhias aéreas da África do Sul apresentaram positivo para o coronavírus chinês. O país está aguardando por novos resultados de testes, pois há múltiplos casos suspeitos da nova variante.

Israel decidiu proibir a entrada de estrangeiros de todos os países por 14 dias, expandindo a proibição das nações africanas para todas as outras regiões.

Na Inglaterra, onde vive a maioria das pessoas no Reino Unido, o uso obrigatório de máscara foi restabelecido no transporte público e nos varejistas.

SourceNHK

Artigos relacionados

ÁSIA

spot_imgspot_img
Translate »