Cantora e atriz Mônica Guedes vence desafios da pandemia e reformula instituição de inclusão social

Foram 17 meses de muito trabalho, estudo e planejamento, mas finalmente foi lançado o novo CG! A “Escola Carlos Gomes” é um projeto idealizado e fundado pela cantora, compositora, produtora e atriz Mônica Guedes. “Quando abri a escola, em 2018, ainda não tinha certeza do meu propósito de vida. Depois de ter passado quase 12 anos no mercado artístico, meu coração ainda tinha muitas dúvidas e incertezas do que eu realmente queria para o futuro”, conta a CEO.

Dúvidas e incertezas, não foram motivos para desanimar Mônica Guedes, lmesmo porque ela sabe muito bem o que é vencer desafios. Mônica lançou em 2019 a música “Minha própria luz”, uma mensagem positiva para as mulheres que recebem o diagnóstico de algum tipo de câncer, doença que a própria artista enfrentou e superou no ano de 2014. De sua própria autoria, a faixa teve a produção musical de Orlando Baron. A edição do emocionante clipe ficou a cargo da Benson Monteiro Films.

Entre os principais objetivos da escola, além de reverter 33% do valor das mensalidades para obras sociais, estão desenvolver habilidades e conhecimentos básicos em diversos segmentos artísticos, e consequente as habilidades mentais, emocionais e sociais. Na escola você pode aprender, desenvolver e aprimorar aptidões em instrumentos musicais, artesanato, dança, teatro, aulas de inglês, inteligência emocional, alfabetização para adultos, entre outros.

Com apenas 20 anos, com o incentivo de familiares e amigos, Mônica Guedes iniciou uma carreira de destaque no mercado fonográfico como cantora, compositora e produtora musical. Isso lhe trouxe uma grande bagagem, ampliando seus conhecimentos não só artísticos, mas, também em relação à comunicação, gestão de pessoas, gestão de tempo, planejamento estratégico, execução de projetos, marketing, networking, entre outros.

Mesmo com mais de uma década de experiência no cenário artístico, Mônica Guedes teve de mostrar muita resiliência na gestão à frente da Escola Carlos Gomes, em razão da pandemia do coronavírus que assolou todo o mundo. “O último ano foi de muitas dificuldades. Tivemos que fechar as portas durante cinco meses, reduzimos a equipe, perdemos 70% dos nossos alunos. Enfim… Foram grandes os esforços para manter o projeto de pé. Confesso que pensei muito em desistir, mas entre surtos, suor e lágrimas, usei todos esses imprevistos como combustível pro meu aperfeiçoamento, testando muitas vezes minha fé e minha coragem. Aprendi, aprendi muito”.

“A pandemia e todos os seus desdobramentos me fizeram, não só repensar, mas tomar atitudes e definir novos rumos. Pude reconhecer as recentes adversidades do mundo e entender as novas necessidades das pessoas, tanto no âmbito pessoal, quanto profissional. Assim, decidi reformular o propósito da nossa instituição, e passamos de “Centro Cultural Carlos Gomes, para “Escola Carlos Gomes”. Ultrapassando a esfera artística (cursos de artes), a promoção do bem-estar, para a ampliação da nossa grade ao desenvolvimento de habilidades humanas essenciais (soft skills).

“Sei que é um grande desafio, mas sinto a necessidade latente dentro mim de contribuir de alguma forma para mudanças positivas no mundo. É isso o que me move, que me faz levantar da cama todos os dias. Através de duas grandes paixões, estudar e ensinar, realizo através da Escola CG, com o apoio de nossos professores e colaboradores, esse novo (e grande) passo. Nunca é tarde para aprender, para descobrir novos caminhos e evoluir. Todos nós temos um grande potencial, só precisamos acreditar. É possível “IR ALÉM!”, incentiva a CEO.

Para conhecer um pouco mais da Escola Carlos Gomes, acesse suas redes sociais:
Site: https://www.escolacg.com.br
Facebook: https://www.facebook.com/cgescola
Instagram: https://www.instagram.com/escola_cg/
Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCfP2rbn1LAgCEscola Carlos Gomes1WsD8V1uqnA

ESTRATEGIC ASSESSORIA E COMUNICAÇÃO
Assessor de Imprensa – Diego Vivan
[email protected]

(19) 9 9218 8645

 

Artigo anteriorArábia Saudita pede desculpas ao Japão pelo incidente com torcedor de futebol
Próximo artigoPessoal afegão ligado ao Japão chegam ao país
Sou a Cleo Oshiro, uma mineira que no ano de 2002 optou por viver no Japão com a família. Em 2010 a Revista GVK Internacional no Brasil, especializada em karaokê, me descobriu no Orkut e através da minha paixão pela música e karaokê, decidiram fazer uma matéria sobre minha vida aqui no Japão, afinal foi aqui na cidade de Kobe que ele surgiu e se espalhou pelo mundo. Com a repercussão da matéria, eles me convidaram para ser a Correspondente Internacional da revista no Japão e aceitei o desafio e não parei mais. Fui Colunista Social por 2 anos no Portal Mie/Japão, da Revista Baladas Internacional/ Suiça, na BDCiTV/EUA e na Revista Biografia/ Brasil, realizando entrevistas com várias personalidades do meio artístico. Minhas matérias são para divulgar o trabalho dos artistas, sem apelos sensacionalistas, mesmo porque meu foco é mostrar a imensidão de talentos espalhados pelo mundo sejam famosos ou não. Atualmente faço parte da equipe da Rádio Shiga, onde faço matérias artísticas e sou a idealizadora do programa musical The Best Of Brazilian Music em parceria com o Omote-san. O programa foi suspenso devido problemas interno, mas o tempo em que esteve no ar levava a música brasileira à outros países da Asia. O programa The Best Of Brazilian Music era apresentado em inglês pela DJ Shine Dory, uma filipina apaixonada pela MPB e Bossa Nova. A escolha pelo idioma foi para alcançar japoneses e estrangeiros que vivem no Japão, já que inglês é um idioma universal e os brasileiros já contavam com o acesso as informações dos artistas através das matérias publicadas por mim no site