Morre testemunha chave de investigação de corrupção da Odebrecht na Colômbia

O ex-secretário de Transparência da Presidência da Colômbia, Rafael Merchán, testemunha chave dos casos de corrupção que envolvem a empreiteira Odebrecht no país, foi encontrado morto em seu apartamento em Bogotá.

Image © (Escritórios da construtora Odebrecht / Reprodução / via Agência Brasil) Dec/2018

Morre testemunha chave de investigação de corrupção da Odebrecht na Colômbia.

O ex-secretário de Transparência da Presidência da Colômbia, Rafael Merchán, testemunha chave dos casos de corrupção que envolvem a empreiteira Odebrecht no país, foi encontrado morto em seu apartamento em Bogotá.

A causa da morte é desconhecida, mas a mídia local afirma que Merchán estava desaparecido desde terça-feira (25).

Merchán foi admitido como testemunha na investigação que envolve ex-diretor da Agência Nacional de Infraestrutura (ANI), Luis Fernando Andrade, pelo suposto recebimento de propinas para a adjudicação de uma obra pública.

“Infinita tristeza pela morte de um grande amigo, o extraordinário ser humano Rafael Merchán, ele nos fará muita falta, que dor, descanse em paz”, escreveu no Twitter o ex-senador Carlos Fernando Galán.

A investigação tem como foco o acréscimo ao contrato de concessão para a construção da Ruta del Sol II, concedido à Odebrecht e à parceira local Corficolombiana.

Andrade negou ter recebido propinas, embora tenha concedido à Odebrecht o contrato, pelo qual se reuniu com executivos da empresa e com réus no esquema de propinas.

O ex-funcionário é acusado de interesse indevido na conclusão de contratos, ocultação, alteração ou destruição de elementos materiais probatórios e falso testemunho.

Em 18 de dezembro, Andrade viajou para Miami e sua defesa denunciou que ele havia recebido ameaças.

O escândalo da Odebrecht já está manchado com outras duas mortes suspeitas, a do examinador da Ruta del Sol II, Jorge Enrique Pizano, e a de seu filho, Alejandro, depois de beber água aromatizada com cianureto.