Editorial: Bolsonaro e a quebra de paradigma

Contrariando toda a lógica político-brasileira, Jair Bolsonaro venceu as eleições presidenciais do país, com quase nenhum recurso financeiro, sem tempo de televisão, sem partido político forte, com toda a grande mídia contra, enfrentando diariamente, notícias falsas (fake news) a seu respeito e de seus eleitores, que até agora não houve pedido de retratação nem desculpas, e reduzindo a pó o Partido dos Trabalhados – PT (também conhecido como organização criminosa, por ter quase toda a sua cúpula presa ou processada por corrupção, lavagem de dinheiro, formação de quadrilha, etc), que venceu as últimas 4 eleições presidenciais anteriores.

Tendo apenas as redes sociais da internet para propagar suas idéias e programas, venceu a corrida presidencial com 55,14% dos votos válidos no segundo turno, sobre Fernando Haddad (PT), que possuia uma estrutura gigantesca a seu favor.

Não posso dizer sinto muito pelo seu candidato, pelo contrário, mas acredito que Bolsonaro saberá dar inicio as mudanças necessárias para colocar o Brasil de volta nos trilhos!

Nestes últimos meses me dediquei ativamente a fazer propaganda para Bolsonaro, mudei meu voto, por perceber que era o único que poderia desaparelhar a maquina estatal.

Perdi alguns amigos esquerdista, ganhei outros para a direta e mantive alguns, que mesmo sendo de esquerda continuamos amigos.

A você que “isentou” ou sendo do lado vermelho da democracia, que continua sendo meu amigo, apesar da derrota do PT, lhe digo que todos os brasileiros irão lutar para que o Brasil seja um país justo e igualitário para todos, e não apenas para alguns.

Que o Brasil deva ser governado com os princípios universais para toda a sociedade, e não apenas de alguns.

Que o governante cumpra primeiro, as reformas e as necessidades do seu povo, antes de aventurar-se ao estrangeiro. Que por mais que, a derrota possa nesse instante estar te corroendo por dentro, é junto de você que todos nós brasileiros, de direita, esquerda, centro, meio campo ou bola fora, que Bolsonaro governará.

E do mesmo modo que o governo PTista, iremos fiscalizar e cobrar as promessas de campanha. Que nessa eleição todos possamos ter aprendido a não termos politicos de estimação, eles são nossos funcionários que farão a máquina pública girar, e não o contrário. Não cumpriu, roubou, corruptou, nós  iremos pedir a sua cabeça.

Os interesses do Brasil (que é toda a nação) vem muito antes que interesses partidários e ideológicos. Juntos iremos recomeçar um novo Brasil.

Da Redação by Anderson Yoshihara