EUA denunciam Nicolás Maduro por tráfico de drogas com recompensa de 15 milhões de dólares pela sua captura

Os EUA denunciaram o presidente venezuelano Nicolás Maduro por tráfico de drogas nesta quinta-feira (26), oferecendo uma recompensa de US$ 15 milhões por informações que levem à sua prisão.

Estatística COVID19 - Coronavírus

Última atualização em:
Total Global
Casos

Mortes

Recuperados

Active

Parques temáticos no Japão prolongam o fechamento

Parques temáticos no Japão prolongam o fechamento Os operadores de grandes parques temáticos no Japão informam que continuarão fechados por pelo menos mais um mês,...

Japão expandirá os serviços de ajuda às vítimas de violência doméstica

Japão expandirá os serviços de ajuda às vítimas de violência doméstica O Governo japonês está se preparando para um possível aumento de casos de violência...

Lucros do comércio varejista caem em meio a pandemia do coronavírus chinês

Lucros do comércio varejista caem em meio a pandemia do coronavírus chinês O operador de comércio varejista da cadeia de vestuário Uniqlo, disse que os...

Brasil: condutores já podem imprimir em casa documento veicular

Brasil: condutores já podem imprimir em casa documento veicular Os proprietários de veículos de 13 estados e do Distrito Federal já podem imprimir o documento...

Brasil: governo começa a pagar auxílio emergencial de R$ 600 nesta quinta-feira (9)

Brasil: governo começa a pagar auxílio emergencial de R$ 600 nesta quinta-feira (9) O governo começa a pagar na quinta-feira (9) a primeira parcela do...

EUA denunciam Nicolás Maduro por tráfico de drogas com recompensa de 15 milhões de dólares pela sua captura

Os EUA denunciaram o presidente venezuelano Nicolás Maduro por tráfico de drogas nesta quinta-feira (26), oferecendo uma recompensa de US$ 15 milhões por informações que levem à sua prisão.

Os EUA também indiciaram 14 associados-chave de Maduro, incluindo o ex-vice-presidente Diosdado Cabello, oferecendo US$ 10 milhões por informações que levem à sua prisão. Foram apresentadas acusações contra o ministro da defesa, o presidente do Supremo Tribunal e o superintendente da moeda criptográfica do país.

“O regime de Maduro está inundado de corrupção e criminalidade”, disse o Procurador Geral William Barr em uma coletiva de imprensa em Washington, realizada remotamente por causa do coronavírus. “Enquanto o povo venezuelano sofre, esta cabala alinha seus bolsos com dinheiro da droga e os lucros da corrupção”.

As acusações alegam uma conspiração envolvendo as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, um grupo terrorista que, segundo Barr, estava determinado a “inundar os EUA de cocaína”. Ele disse que o regime de Maduro dá às FARC, como o grupo é conhecido, autoridade para pilotar aviões cheios de drogas sobre o espaço aéreo venezuelano e fabricar cocaína em segurança em seu território.

“Estimamos que entre 200 e 250 toneladas de cocaína são enviadas para fora da Venezuela por essas rotas”, disse Barr, acrescentando que as remessas equivalem a 30 milhões de doses letais da droga.

As acusações contra Maduro – que também incluem crimes com armas e narcoterrorismo – acarretam uma pena mínima de pelo menos 50 anos.

O presidente Donald Trump e as principais autoridades americanas há muito que procuram destituir Maduro, mas até agora não conseguiram substituí-lo pelo líder da oposição que apoiam, o presidente da Assembleia Nacional, Juan Guaido.

Embora os Estados Unidos tenham sancionado a maior parte do círculo interno de Maduro, eles se mantiveram firmes ao apresentar acusações de drogas contra alguns altos funcionários venezuelanos porque a administração Trump esperava que eles pudessem se voltar contra o autocrata. Isso acabou levando a uma revolta fracassada em Caracas, em abril passado, onde alguns dos acusados ficaram presos com Maduro em vez de desertar.

Não está claro se as acusações e recompensas irão criar as condições para afastar o regime. Mas é provável que ajudem a campanha de Trump para a reeleição em novembro no estado chave da Flórida, onde expatriados venezuelanos e cubanos vivem em grande número.

O senador Bob Menendez, um democrata de Nova Jersey e membro do Comitê de Relações Exteriores do Senado, disse em uma declaração que Maduro era de fato um criminoso e ditador. Mas, acrescentou ele, à medida que o coronavírus chinês se espalha, este é o momento de se juntar a parceiros internacionais para ajudar o povo venezuelano através do aumento da ajuda humanitária.

Barr, perguntado na coletiva de imprensa sobre o momento do anúncio, disse que como os venezuelanos sofrem com o vírus chinês e a escassez de medicamentos, este é um momento para lembrá-los de que seus líderes são criminosos que os roubam.

Cerca de US$ 2 bilhões de cocaína, um quarto do que foi produzido na Colômbia no ano passado, passou pela Venezuela antes de chegar a outros países, segundo Jeremy McDermott, co-fundador do Insight Crime, um grupo de pesquisa que estuda o crime organizado. Ele o chamou de um ano bastante típico para o trânsito.

Há evidências de que os grupos criminosos que transportam essas drogas se infiltraram nas forças venezuelanas de segurança, formando uma rede conhecida como o “Cartel dos Sóis” para facilitar a entrada e a saída de drogas ilícitas no país, segundo um relatório de 2019 do Conselho Internacional de Controle de Narcóticos das Nações Unidas.

No ano passado, o ex-vice-presidente de Maduro, Tareck El Aissami, foi acusado de violar uma lei americana que visava os traficantes de drogas internacionais ao usar jatos privados fornecidos por empresas americanas. Cabello também havia sido anteriormente acusado pelo Departamento do Tesouro de narcotráfico, enquanto dois dos sobrinhos de Maduro estão cumprindo penas nos EUA após condenações por acusações de drogas.

A acusação contra Maduro, que não é reconhecida pelos EUA e dezenas de outras nações, marca a primeira contra um chefe de Estado em exercício desde que os EUA emitiram acusações contra o ex-criminoso panamenho Manuel Noriega. Noriega foi finalmente capturado e condenado à prisão depois que o então presidente George H. W. Bush enviou tropas ao país para levá-lo à justiça.

“Nós esperamos ganhar a custódia desses réus”, disse Barr sobre Maduro e seus assessores indiciados.

SourceBloomberg

Brasil

Brasil: condutores já podem imprimir em casa documento veicular

Brasil: condutores já podem imprimir em casa documento veicular Os proprietários de veículos de 13 estados e do Distrito Federal já podem imprimir o documento...

Brasil: governo começa a pagar auxílio emergencial de R$ 600 nesta quinta-feira (9)

Brasil: governo começa a pagar auxílio emergencial de R$ 600 nesta quinta-feira (9) O governo começa a pagar na quinta-feira (9) a primeira parcela do...

Brasil: governo do Pará proíbe corte de internet por dois meses

Brasil: governo do Pará proíbe corte de internet por dois meses O governo do Pará proibiu a suspensão dos serviços de acesso à internet no...

Artigos relacionados

Japão expandirá os serviços de ajuda às vítimas de violência doméstica

Japão expandirá os serviços de ajuda às vítimas de violência doméstica O Governo japonês está se preparando para um possível aumento de casos de violência...

Pesquisa em Wuhan revela mais mortes do que as relatadas

Pesquisa em Wuhan revela mais mortes do que as relatadas Pesquisadores na China revelaram ser mais de 100 casos não contabilizados de novas mortes relacionadas...

Sanders abandona a corrida presidencial dos EUA

Sanders abandona a corrida presidencial dos EUA O senador norte-americano Bernie Sanders desistiu da corrida presidencial de 2020 pelo Partido Democrata. A retirada de Sanders abre...
Translate »