Única mulher do Irã medalhista olímpica em busca de asilo

A única mulher medalhista olímpica do Irã manifestou sua intenção de procurar asilo, criticando as autoridades iranianas por oprimi-la.

Image © (Atleta iraniana de Taekwondo, Kimia Alizadeh / Reprodução / via Northem Public Radio) Jan/2020

Única mulher do Irã medalhista olímpica em busca de asilo

A única mulher medalhista olímpica do Irã manifestou sua intenção de procurar asilo, criticando as autoridades iranianas por oprimi-la.

A atleta de Taekwondo Kimia Alizadeh publicou um comentário no Instagram neste sábado (11), dois dias depois de a mídia ocidental e outros meios de comunicação terem noticiado que ela havia deixado o Irã para a Holanda em busca de asilo.

Ela ganhou a medalha de bronze nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro em 2016, usando o lenço de cabeça necessário para todas as mulheres iranianas em público.

Alizadeh se descreveu como “uma das milhões de mulheres oprimidas no Irã, que elas representam há anos”.

A atleta escreveu que “nós somos apenas ferramentas” para as autoridades iranianas, que exploraram suas medalhas politicamente. Ela acrescentou que as autoridades a criticaram por continuar o esporte.

Alizadeh escreveu que sua decisão de deixar o Irã pode ser mais difícil do que ganhar uma medalha de ouro. Mas ela disse que permanecerá “uma criança do Irã” onde quer que esteja.

Sua ação tem atraído a atenção global, já que o Irã tem mostrado sinais de melhorar os direitos das mulheres. Em outubro, Teerã permitiu que as mulheres assistissem a um jogo de futebol internacional em um estádio pela primeira vez em décadas.