Promotores de Tóquio: as críticas de Ghosn são inaceitáveis

Os procuradores de Tóquio dizem que as críticas do ex-presidente da Nissan, Carlos Ghosn, ao sistema de justiça criminal japonês são "totalmente inaceitáveis" e tomarão todas as medidas possíveis para levá-lo à justiça no Japão.

Image © (Imagem referencial / via NHK World) Jan/2020

Promotores de Tóquio: as críticas de Ghosn são inaceitáveis

Os procuradores de Tóquio dizem que as críticas do ex-presidente da Nissan, Carlos Ghosn, ao sistema de justiça criminal japonês são “totalmente inaceitáveis” e tomarão todas as medidas possíveis para levá-lo à justiça no Japão.

No início desta quinta-feira (9), o chefe adjunto do Ministério Público do Distrito de Tóquio, Takahiro Saito, divulgou no site do Ministério Público um “comentário” em inglês sobre a conferência de imprensa de Ghosn, em Beirute, realizada algumas horas antes.

A declaração diz que as alegações de Ghosn “ignoram completamente a sua própria conduta, e as suas críticas unilaterais ao sistema de justiça criminal japonês são totalmente inaceitáveis”.

Ghosn acusou o sistema judicial japonês de violar seus direitos humanos básicos e disse que sua prisão foi orquestrada por promotores em conjunto com a Nissan.

O depoimento de Saito diz que o Ministério Público “de acordo com a lei japonesa, desenvolveu legalmente nossa investigação sobre os atos criminosos do réu Ghosn e iniciou a acusação”.

Também nega a alegação de Ghosn de que os promotores conspiraram com a Nissan, dizendo que a acusação é “categoricamente falsa e completamente contrária aos fatos”.

A declaração termina dizendo que os promotores estão determinados a “tomar as medidas que temos em nosso poder” para levar Ghosn à justiça no Japão.

Esta é a segunda vez desde que Ghosn fugiu do Japão que o Ministério Público de Tóquio publicou em seu site uma declaração em inglês defendendo suas ações e o sistema legal japonês.