Coreia do Norte volta a proferir ataques pessoais a Donald Trump

Em resposta a imagens de satélite que sugerem a realização de testes com motor de foguete pela Coreia do Norte, alto funcionário do governo de Pyongyang referiu-se ao presidente dos EUA, Donald Trump, como "velho negligente e errático".

Image © (Parada militar em Pyongyang / Reprodução / via Agência Sputnik) Dec/2019

Coreia do Norte volta a proferir ataques pessoais a Donald Trump

Em resposta a imagens de satélite que sugerem a realização de testes com motor de foguete pela Coreia do Norte, alto funcionário do governo de Pyongyang referiu-se ao presidente dos EUA, Donald Trump, como “velho negligente e errático”.

Os comentários foram feitos por Kim Yong Chol, alto membro do partido que teve um papel central na organização do encontro malsucedido entre o líder norte-coreano, Kim Jong-un, e Donald Trump, em fevereiro.

“Ele é um velho negligente e errático, e acho que chegaremos a um ponto no qual não poderemos deixar de chamá-lo de ‘caquético’ novamente”, declarou Chol à agência de notícias KCNA.

As tensões entre a Coreia do Norte e os EUA aumentaram nas últimas semanas, dada a aproximação do prazo estipulado por Pyongyang para a retomada das negociações bilaterais, que expira no final do ano.

A Coreia do Norte conduziu uma série de testes de armamentos e emitiu declarações negativas sobre as perspectivas de desnuclearização da península no último mês.

Apesar da troca de insultos ter sido a regra durante o primeiro ano de mandato de Donald Trump, os líderes de Coreia do Norte e EUA haviam deixado de proferir ataques pessoais após a realização do primeiro encontro bilateral de Singapura, em 2018.

O alto funcionário norte-coreano fez referência a declarações de Trump, segundo as quais Kim Jong-un teria “muito a perder”, e por isso não interferiria nas eleições presidenciais americanas. Para Chol, o comentário indica que Trump é um “velho desprovido de paciência”.
Chol notou que o líder norte-coreano poderia perder a confiança em Trump, caso o norte-americano seguisse empregando “expressões e palavras muito arriscadas e inapropriadas”.

A Coreia do Norte estipulou um prazo para que as negociações com os EUA sobre a desnuclearização da península coreana sejam retomadas. O mais recente encontro entre as partes, em 5 de outubro deste ano, terminou sem resultados.

A Coreia do Norte demanda o fim das sanções norte-americanas que assolam a economia do país. O líder norte-coreano ameaça retomar os testes de seus mísseis de longo alcance, suspensos desde 2017.

O representante especial dos EUA para a Coreia do Norte, Stephen Biegun, considerou o prazo estipulado artificial. Washington demanda que Pyongyang abandone seu programa de mísseis e colabore com a desnuclearização da península coreana.