Enviado dos EUA acusa Pequim de ‘intimidação’ no mar do Sul da China

O conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, Robert O'Brien, condenou Pequim por impedir que outras nações tenham acesso a recursos no mar do Sul da China.

Image © (Soldados do Exército de Libertação do Povo da China nas ilhas Spratly, no mar do Sul da China / Reprodução / via Agência Sputnik) Nov/2019

Enviado dos EUA acusa Pequim de ‘intimidação’ no mar do Sul da China

O conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, Robert O’Brien, condenou Pequim por impedir que outras nações tenham acesso a recursos no mar do Sul da China.

Durante uma cúpula da Associação de Nações do Sudeste Asiático (ASEAN), em Bangkok (Tailândia), O’Brien disse aos líderes mundiais reunidos que a China era culpada de tácticas ameaçadoras na região.

“Pequim tem usado intimidação para tentar impedir que as nações da ASEAN explorem os recursos off-shore, bloqueando o acesso a US$ 2,5 trilhões (R$ 9,9 trilhões) só em reservas de petróleo e gás”, afirmou O’Brien quando discursava como representante dos EUA.
Na cúpula, ele também leu uma mensagem do presidente dos EUA, Donald Trump, convidando os líderes da ASEAN a participar de uma reunião nos EUA no próximo ano.

Expansão marítima chinesa
O novo assessor para assuntos de Segurança Nacional está focado no crescente poder econômico e militar da China, caracterizando a expansão marítima de Pequim como uma “tempestade vermelha em ascensão” e afirmando que essa ameaça deve ser combatida com o crescimento da Marinha dos EUA.

Washington desafiou a reivindicação de Pequim sobre o mar do Sul da China invocando o princípio da “liberdade de navegação” para realizar patrulhas navais regulares e acessar as vias navegáveis. Tais ações têm sido repetidamente condenadas pela China como provocatórias.