Metrô de Hong Kong interrompido após manifestações violentas

Mais da metade das estações de metrô de Hong Kong ficaram fora de serviço nesta segunda-feira (7), depois que manifestantes as vandalizaram durante o fim de semana.

Image © (Imagem referencial / via Nikkei Asian Review) Oct/2019

Metrô de Hong Kong interrompido após manifestações violentas

Mais da metade das estações de metrô de Hong Kong ficaram fora de serviço nesta segunda-feira (7), depois que manifestantes as vandalizaram durante o fim de semana.

Manifestantes incendiaram as entradas de algumas estações e destruíram equipamentos de controle de incêndio no domingo (6). 54 estações ainda estão fechadas.

A última onda de protestos foi desencadeada por uma nova lei de emergência proibindo os manifestantes de cobrir seus rostos com máscaras, com multas de quase três mil dólares e até um ano de prisão.

A mídia local relatou que 2 pessoas foram indiciadas por violar a proibição nos protestos de sábado.

O governo de Hong Kong condenou os manifestantes mascarados, dizendo em uma declaração que a proibição tem como objetivo prevenir “mais violência e tumulto”.

O Decreto Regulamentar de Emergência utilizado para a proibição de máscaras permite a Chefe do Executivo aplicar várias leis sem a aprovação do conselho legislativo. A confusão está se aprofundando à medida que há especulações de que os controles sobre saques de dinheiro poderiam ser introduzidos a seguir. O governo nega esse rumor.

Mais protestos foram convocados nas redes sociais para esta segunda-feira, feriado público no território.