26.1 C
Kōnan
sábado, 26 de setembro de 2020

Bolsonaro diz que não questionará vetos à lei de abuso de autoridade

O presidente Jair Bolsonaro afirmou neste sábado (5) que não fará questionamentos ao Supremo Tribunal Federal em relação aos vetos na lei que tipifica os crimes de abuso de autoridade. Em setembro, o Congresso Nacional derrubou 18 vetos referentes à lei.

Estatística COVID19 - Coronavírus

Total Global
Última atualização em:
Casos

Mortes

Recuperados

Active

Casos Today

Mortes Today

Critical

Affected Countries

Trump deverá escolhar Amy Barrett para a Suprema Corte

Trump deverá escolhar Amy Barrett para a Suprema Corte A mídia americana está noticiando que o Presidente Donald Trump está decidido a nomear a juíza...

Suga promete apoio para um acesso justo às vacinas

Suga promete apoio para um acesso justo às vacinas O primeiro-ministro japonês, Suga Yoshihide, prometeu total apoio ao esforço para garantir o acesso justo aos...

Polícia em Paris prende dois após esfaqueamento

Polícia em Paris prende dois após esfaqueamento A polícia francesa abriu uma investigação antiterrorista depois que um homem e uma mulher foram esfaqueados em uma...

Japão reduzirá cota de importação de manteiga

Japão reduzirá cota de importação de manteiga O Ministério da Agricultura do Japão informa que está reduzindo a cota de importação de manteiga do país...

Ministros do G7 apoiam a extensão do programa de alívio da dívida

Ministros do G7 apoiam a extensão do programa de alívio da dívida Os ministros da Fazenda do Grupo das Sete Nações apoiaram a extensão da...

Bolsonaro diz que não questionará vetos à lei de abuso de autoridade

O presidente Jair Bolsonaro afirmou neste sábado (5) que não fará questionamentos ao Supremo Tribunal Federal em relação aos vetos na lei que tipifica os crimes de abuso de autoridade. Em setembro, o Congresso Nacional derrubou 18 vetos referentes à lei.

“Eu vetei em grande parte a lei de Abuso de Autoridade. O Parlamento derrubou vetos, essa lei entra em vigor a partir do ano que vem. Lei é lei. Tem gente questionando agora, via Ação Direta de Inconstitucionalidade, no Supremo Tribunal Federal. Eu não pretendo questionar, posso fazer, mas não pretendo fazer isso daí. Essa briga já não é mais minha”, disse Bolsonaro ao participar, por meio de uma live, do Simpósio Nacional Conservador de Ribeirão Preto.

“A regra do jogo é essa. O que o Supremo decidir, eu vou cumprir. O que o Congresso votar e chegar nas minhas mãos, eu tenho poder de vetar. Se o Parlamento derrubar o veto, é lei e não se discute mais”, acrescentou.

O presidente afirmou também que não vai mais interferir no projeto de lei que altera as regras eleitorais, sancionado no dia 27 de setembro. Entre os pontos vetados pelo presidente da República, está justamente a recriação da propaganda político-partidária no rádio e na televisão, que havia deixado de existir com a reforma eleitoral anterior (Lei 13.487, de 2017).

“Fiz os vetos e o mundo caiu na minha cabeça”, argumentou. “Falaram que eu estava fazendo o jogo de cartas marcadas, para que o parlamento derrubasse o veto para que as mudanças valessem para a eleição do ano que vem”, afirmou. “E o que aconteceu? Os vetos não foram apreciados. Se forem apreciados a partir da semana que vem, eles não valem para a eleição do ano que vem. Por que a lei eleitoral precisa entrar em vigor um ano antes da eleição. Isso só valerá para 2022”, disse.

Bolsonaro afirmou ainda que prepara mudanças na gestão dos órgãos ligados à área da Cultura, como Fundação Nacional de Artes (Funarte) e Agência Nacional do Cinema (Ancine).

“Nós não podemos perder a guerra com a informação. Deixamos tudo isso muito à vontade no passado. Estamos preparando mudanças na questão da Cultura, da Funarte, da Ancine. Muita gente empregada lá, em cargos de comissão, desde o primeiro ano do governo Lula. Algumas pessoas têm mandato, a gente não vai perseguir ninguém, mas o Brasil mudou. Não pretendo [aceitar] mais certo tipo de obra por aí. Isso não é censura, é preservar os valores cristãos, tratar com respeito a nossa juventude”, disse.

Artigos relacionados

Carnaval de rua no Rio em 2021 é adiado

Carnaval de rua no Rio em 2021 é adiado A presidente da Associação Independente de Blocos de Carnaval de Rua da Zona Sul, Santa Teresa...

MPF denuncia cinco investigados na Operação Esquema S

MPF denuncia cinco investigados na Operação Esquema S O Ministério Público Federal (MPF) no Rio de Janeiro denunciou, nesta sexta-feira (25), à Justiça o ex-presidente...

Polícia Federal prende prefeitos de Rondônia por suspeita de corrupção

Polícia Federal prende prefeitos de Rondônia por suspeita de corrupção A Polícia Federal (PF) cumpriu quatro mandados de prisão preventiva contra prefeitos de municípios de...

ÁSIA

ÚLTIMAS NOTÍCIAS - BRASIL

Carnaval de rua no Rio em 2021 é adiado

0
Carnaval de rua no Rio em 2021 é adiado A presidente da Associação Independente de Blocos de Carnaval de Rua da Zona Sul, Santa Teresa...

Celso de Mello antecipa aposentadoria do STF

Translate »