Enviado da ONU adverte sobre consequências regionais dos ataques na Arábia Saudita

O ataque às instalações petrolíferas na Arábia Saudita durante o fim-de-semana corre o risco de se tornar uma "conflagração regional", segundo a mensagem do alto funcionário das Nações Unidas no Iêmen para o Conselho de Segurança da ONU nesta segunda-feira (16).

Image © (Imagem referencial / via Agência Brasil) Sep/2019

Enviado da ONU adverte sobre consequências regionais dos ataques na Arábia Saudita

O ataque às instalações petrolíferas na Arábia Saudita durante o fim-de-semana corre o risco de se tornar uma “conflagração regional”, segundo a mensagem do alto funcionário das Nações Unidas no Iêmen para o Conselho de Segurança da ONU nesta segunda-feira (16).

O Enviado Especial da ONU para o Iêmen, Martin Griffiths, disse: “Este incidente, extremamente grave, torna as chances de um conflito regional muito maior e de uma aproximação muito menor”.

O enviado disse que ainda não está claro quem está por trás do ataque.

Os insurgentes hutistas no Iêmen reivindicaram responsabilidade em uma declaração.

Na reunião, os Estados Unidos repetiram sua posição de que a responsabilidade pelo ataque de sábado é do Irã e que não há nenhuma evidência de que tenha vindo do Iêmen.

O Irã nega qualquer envolvimento nos ataques que cortaram 5% da produção mundial de petróleo bruto.

O presidente dos EUA, Donald Trump, sugeriu o contrário.

Reporter: Você já viu evidências que provam que o Irã está por trás do ataque?
Trump: “É o que parece. Temos alguns estudos muito bons… estudos muito fortes feitos, mas é o que parece neste momento”.
Reporter: “Você quer guerra com o Irã?
Trump: “Eu quero guerra? Eu não quero guerra com ninguém”.

Trump acrescentou que os EUA estão considerando várias opções para responder aos ataques, mas não detalhou.

Ele também disse que o Secretário de Estado, Mike Pompeo, viajará para a Arábia Saudita em uma data não revelada.

Os ataques às instalações em Abqaiq e Khurais – que dizem ser a maior usina de petróleo bruto do mundo – reduziram a produção de petróleo da Arábia Saudita em cerca de metade.

O governo dos Estados Unidos divulgou imagens de satélite mostrando danos em 17 estruturas da Abqaiq.

A expectativa é de que as instalações levem semanas para retomar totalmente a produção.