Nagasaki presta homenagem as vítimas da Bomba Atômica

As pessoas no Japão estão prestando homenagem as vítimas do bombardeio atômico da cidade de Nagasaki durante a Segunda Guerra Mundial. Nos últimos 74 anos, a cidade passou a simbolizar perda, resiliência e esperança. Em uma cerimônia, políticos e sobreviventes apelaram ao mundo para que façam mais, para garantir que nunca mais aconteça uma tragédia nuclear.

Image © (Imagem referencial / via NHK World) Aug/2019

Nagasaki presta homenagem as vítimas da Bomba Atômica

As pessoas no Japão estão prestando homenagem as vítimas do bombardeio atômico da cidade de Nagasaki durante a Segunda Guerra Mundial. Nos últimos 74 anos, a cidade passou a simbolizar perda, resiliência e esperança. Em uma cerimônia, políticos e sobreviventes apelaram ao mundo para que façam mais, para garantir que nunca mais aconteça uma tragédia nuclear.

Desde o início da manhã, a população compareceu ao Parque da Paz, para lembrar os mortos e compartilhar seus desejos de paz.

Uma mulher disse: “Eu vi a nuvem da bomba atômica. Fiquei tão chocada. Quero que o mundo pare de fazer bombas atômicas o mais rápido possível”.

Um homem disse: “Eu rezo pela abolição nuclear. Esse é meu único desejo. Temos que fazer um apelo mais forte ao mundo a partir de Nagasaki”.

O parque ficou em silêncio às 11h02 da manhã – no exato momento em que a bomba explodiu.

No final de 1945, a explosão tirou a vida de mais de 70.000 pessoas.

A idade média dos sobreviventes, conhecidos como hibakusha, é agora superior a 82 anos. Muitos sofreram os efeitos da radiação durante décadas.

Yoshiro Yamawaki tinha 11 anos quando a bomba caiu. Ele perdeu seu pai no ataque. Em nome dos hibakusha, ele pediu a abolição das armas nucleares.

Ele disse: “É claro que continuarei a apelar pela abolição das armas nucleares até que eu morra. É assim que devemos homenagear as 200 mil pessoas que perderam a vida em Hiroshima e Nagasaki há 74 anos e os hibakusha que continuam a viver, enquanto sofrem os efeitos secundários.”

No final de seu discurso, Yamawaki apelou ao mundo usando o inglês, que ele mesmo ensinou mais tarde na vida.

“Por favor, empreste-nos sua força para eliminar as armas nucleares da face da terra e certifique-se de que Nagasaki tenha sido o último lugar na Terra a sofrer um bombardeio atômico!”

O prefeito de Nagasaki descreveu a situação global envolvendo armas nucleares como “extremamente perigosa”. Tomihisa Taue disse que os EUA estão desenvolvendo armas menores e mais manejáveis, enquanto a Rússia anunciou a implantação de novas armas nucleares. Ele observou que um tratado histórico de controle de armas nucleares entre os dois países perdeu efeito no início deste mês.

Ele disse: “Apelo aos Estados Unidos e à Rússia, em particular, para que assumam a responsabilidade como superpotências nucleares, demonstrando ao mundo maneiras concretas de reduzir drasticamente os estoques nucleares”.

O Japão depende do guarda-chuva nuclear dos EUA e, apesar dos apelos dos hibakusha, o país não planeja assinar o Tratado de Proibição de Armas Nucleares.

O primeiro-ministro Shinzo Abe diz que seu governo vai buscar a abolição das armas nucleares usando uma abordagem diferente. Abe disse, “Vamos tentar superar a divisão entre os Estados com armas nucleares e os Estados sem armas nucleares. E, ao ganhar a cooperação de ambos os lados, incentivaremos persistentemente o diálogo e lideraremos os esforços da comunidade internacional”.

Um representante do Secretário-Geral da ONU disse que sua mensagem é que a única verdadeira garantia contra o uso de armas nucleares é sua total eliminação. Antonio Guterres diz que essa continua sendo a prioridade da ONU – e sua prioridade pessoal – para o desarmamento.

Enquanto o aniversário desta sexta-feira traz atenção global para a devastação da guerra, as pessoas em Nagasaki dizem que esperam que os líderes mundiais reflitam sobre sua mensagem ao longo do ano.