Israel proíbe entrada de 2 congressistas democratas dos EUA

O governo israelense impediu a entrada no país de duas congressistas do Partido Democrata dos EUA, depois que o presidente Donald Trump pediu a Israel para não deixá-las entrar.

Image © (O presidente dos EUA, Donald Trump (E), as congressistas Ilhan Omar, Rashida Tlaib e o primeiro-ministro de Israel Benjamin Netanyahu / Reprodução / via Agência Reuters) Aug/2019

Israel proíbe entrada de 2 congressistas democratas dos EUA

O governo israelense impediu a entrada no país de duas congressistas do Partido Democrata dos EUA, depois que o presidente Donald Trump pediu a Israel para não deixá-las entrar.

O vice-ministro dos Negócios Estrangeiros de Israel, Tzipi Hotovely, afirmou nesta quinta-feira (15), que Israel não permitiria a entrada de Rashida Tlaib e Ilhan Omar, e a decisão é justificada.

As duas mulheres muçulmanas tinham planejado uma visitar a Jerusalém e a Cisjordânia, para inspecionar a atividade das colonias de Israel, que é considerada por muitos países como uma violação do direito internacional.

Esta é a primeira vez que Israel impede a visita de congressistas do seu aliado mais próximo. Voluntários humanitários que criticaram Israel foram impedidos de entrar no país, no passado.

Observadores dizem que a decisão mostra os laços estreitos entre Trump e o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu. Trump pediu a Israel para barrar a entrada de Tlaib e Omar, que têm feito críticas ferozes contra o presidente dos EUA.

A Organização para a Libertação da Palestina – OLP, emitiu uma declaração classificando a decisão de Israel de ultrajante.

A declaração diz que Israel não tem o direito de impor tal proibição às congressistas que queriam visitar a Palestina e ver, em primeira mão, a realidade da ocupação sob a qual os palestinos vivem, acrescentando que sua viagem era seu direito e dever como membros do Congresso dos EUA.

Afirmou também que a atitude israelita constitui um ataque ao direito do povo palestiniano de se relacionar com o resto do mundo.

Trump defendeu a decisão de Israel, acusando as congressistas de dizerem coisas vergonhosas, e que não pode imaginar porque Israel as deixaria entrar.