Brasil: Mais de 43 mil militares das Forças Armadas reforçam ações de combate a incêndios na Amazônia

O Ministro da Defesa, Fernando Azevedo, e o Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, divulgaram ações de combate a incêndios na Amazônia Legal durante coletiva de imprensa realizada na manhã deste sábado (24). Mais de 43 mil integrantes das Forças Armadas (Marinha, Exército e Aeronáutica) estão locados na região. Eles estão disponíveis para atuar, de acordo com a demanda, coordenados com órgãos de controle ambiental e de segurança pública.

Image © (Aeronaves Hércules C -130 da Força Aérea Brasileira vão reforçar combate aos incêndios na Amazônia / Reprodução / via Ministério da Defesa) Aug/2019

Brasil: Mais de 43 mil militares das Forças Armadas reforçam ações de combate a incêndios na Amazônia

O Ministro da Defesa, Fernando Azevedo, e o Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, divulgaram ações de combate a incêndios na Amazônia Legal durante coletiva de imprensa realizada na manhã deste sábado (24). Mais de 43 mil integrantes das Forças Armadas (Marinha, Exército e Aeronáutica) estão locados na região. Eles estão disponíveis para atuar, de acordo com a demanda, coordenados com órgãos de controle ambiental e de segurança pública.

Após publicação do Decreto Nº 9.985 de 23/08/2019, na sexta-feira (23), foi instalado o Centro de Operações Conjuntas no Ministério da Defesa para execução das ações. O documento autoriza o emprego das Forças Armadas para a Garantia da Lei e da Ordem Ambiental (GLOA) e para ações subsidiárias nas regiões de fronteira, terras indígenas, áreas da União, além de outras áreas da Amazônia Legal, caso haja requerimento do governador do respectivo estado.

“O emprego será basicamente em ações preventivas e repressivas contra ilícitos ambientais e levantamento e combate a focos de incêndio”, explicou o Ministro Fernando Azevedo, durante coletiva.

“Nos últimos anos as Forças Armadas aumentaram de forma significativa a presença na Amazônia. Temos o Sistema de Proteção da Amazônia (SIPAM), coordenado pelo Ministério. O SIPAM utiliza as mais avançadas tecnologias para monitorar o meio ambiente e toda a área”, informou Fernando Azevedo.

O Ministro do Meio Ambiente ressaltou a importância da atuação dos órgãos locais. “Mais uma vez, conclamamos os estados a participarem desse esforço. Entendemos que muitos têm limitações, mas não é possível desenvolvermos essas atividades de fiscalização, comando e controle, sem o apoio estadual”.

As operações de Garantia da Lei e da Ordem Ambiental na Amazônia Legal serão coordenadas pelo Chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, Tenente Brigadeiro do Ar, Raul Botelho. Até o início da tarde, requereram apoio e foi autorizado pelo presidente da República o emprego de Garantia da Lei e da Ordem (GLOA) nos estados de Rondônia, Roraima, Tocantins e Pará.

Ações em andamento

As Forças Armadas disponibilizaram duas aeronaves C -130, próprias para combater incêndios, para atuarem em Porto Velho (RO). Entre as Organizações Militares daquele estado estão designadas para reforçar o combate aos incêndios florestais a 17ª Brigada de Infantaria de Selva, situada em Porto Velho, a Delegacia Fluvial de Porto Velho e o Centro Regional de Vigilância (CRV), órgão pertencente ao SIPAM, também situado em Porto Velho.

Um helicóptero do IBAMA decolou de Cuiabá para apoiar as ações em Porto Velho, na manhã da sexta-feira (23).

Na manhã de sábado (24), quatro aeronaves de combate a incêndio da ICMBio foram enviadas ao estado de Rondônia. Domingo (25), a Força Aérea Brasileira transporta, de Brasília para Porto Velho, 30 bombeiros da Força Nacional de Segurança Pública aos locais das queimadas.

Estão reunidos no Centro de Operações Conjuntas no MD representantes do Ministério do Meio Ambiente, do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), da Força Nacional, da Polícia Federal, do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazonia (Censipam), do Ministério da Agricultura, da Pecuária e Abastecimento e do Ministério das Relações Exteriores.