Carrie Lam de Hong Kong denuncia ocupação do Conselho Legislativo

Uma noite de violência em Hong Kong deixou o território abalado e o seu governo lutando para responder a altura. A chefe executiva, Carrie Lam, convocou uma coletiva de imprensa no início desta terça-feira (2), poucas horas depois que os manifestantes saquearam e vandalizaram um importante prédio do governo.

Image © (Chefe executiva de Hong Kong, Carrie Lam / Reprodução / via NHK World) Jul/2019

Carrie Lam de Hong Kong denuncia ocupação do Conselho Legislativo

Uma noite de violência em Hong Kong deixou o território abalado e o seu governo lutando para responder a altura. A chefe executiva, Carrie Lam, convocou uma coletiva de imprensa no início desta terça-feira (2), poucas horas depois que os manifestantes saquearam e vandalizaram um importante prédio do governo.

Lam disse, “O uso extremo de violência e vandalismo pelos manifestantes que invadiram o prédio do conselho legislativo durante um período de tempo. Isso é algo que devemos condenar seriamente”.

Os manifestantes abriram caminho através de vidros grossos para entrar. Alguns destruíram câmeras de vigilância na galeria e desenharam mensagens políticas nas paredes.

Horas depois, a polícia foi capaz de limpar o prédio usando gás lacrimogêneo. Funcionários do governo dizem que 59 pessoas ficaram feridas, incluindo alguns policiais.

Os protestos ocorreram quando o território marcou o 22º aniversário do seu regresso à China desde o Reino Unido.

Os manifestantes opõem-se a um projeto de lei que permitiria a extradição de suspeitos de Hong Kong para o continente.

A reação negativa levou milhões de pessoas às rua nas últimas semanas.

Lam resistiu aos apelos de renúncia por causa do assunto.

A lei da extradição foi suspensa no mês passado e não há qualquer plano para retomar o debate sobre o assunto.

Ela diz que o projeto de lei, provavelmente, expirará em julho próximo, quando a atual legislatura terminar. Muitas pessoas em Hong Kong querem ver o projeto de lei completamente eliminado.