Japão deixa a Comissão Baleeira Internacional para iniciar a caça comercial à baleia

O Japão retirou-se da Comissão Baleeira Internacional (IWC - International Whaling Commission), neste domingo (30). O país irá retomar a atividade baleeira comercial no dia 1º de julho.

Image © (Imagem referencial / via Internet) Jun/2019

Japão deixa a Comissão Baleeira Internacional para iniciar a caça comercial à baleia

O Japão retirou-se da Comissão Baleeira Internacional (IWC – International Whaling Commission), neste domingo (30). O país irá retomar a atividade baleeira comercial no dia 1º de julho.

O Japão juntou-se à IWC em 1951, apoiando a sua atividade baleeira sustentável através da proteção do número de baleias.

Depois de o Japão ter suspendido a atividade baleeira comercial em 1988, em conformidade com uma moratória da IWC, não conseguiu encontrar um terreno comum com os países que se opõem à caça à baleia.

O Japão anunciou a sua intenção de se retirar em Dezembro último, afirmando que já não era possível retomar a atividade baleeira comercial ao abrigo das regras da IWC.

Vários navios baleeiros estão prontos para zarpar da cidade portuária ocidental de Shimonoseki, na Prefeitura de Yamaguchi, na segunda-feira, para iniciar a caça à baleia no Pacífico.

E na cidade de Kushiro, província de Hokkaido, cinco navios planejam partir para a caça à baleia em águas próximas.

O Japão diz que vai conduzir a caça comercial à baleia apenas nas suas águas territoriais e zonas de exclusividade econômica. A baleia minke e outras espécies que têm números grandes o suficiente, dentro das quotas estabelecidas pelo método adotado pelo IWC serão alvo da caçada.

Ativistas ambientalistas criticam a retomada, à luz da conservação de recursos e da proteção animal.

O governo japonês planeja ganhar apoio da comunidade internacional enfatizando que a caça será feita dentro do limite, para preservar a população de baleias.