Brasil do absurdo: general Paulo Chagas é alvo de ação do STF

Um dos 7 alvos de ação de busca e apreensão expedida pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), o general da reserva Paulo Chagas afirma que o presidente da Corte, Dias Toffoli, busca esconder algo.

Image © (General Paulo Chagas / Reprodução / via O Roncador) Apr/2019

Brasil do absurdo: general Paulo Chagas é alvo de ação do STF

Um dos 7 alvos de ação de busca e apreensão expedida pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), o general da reserva Paulo Chagas afirma que o presidente da Corte, Dias Toffoli, busca esconder algo.

“Não faço crítica à ação em si, mas à atitude defensiva dele, que, para mim, demonstra que está se defendendo para esconder alguma coisa. A melhor defesa é o ataque. Então, resolveu atacar para se defender”, disse Chagas em entrevista à Folha de S. Paulo.

Ativo no Twitter, Chagas já fez críticas ao Supremo na rede social: “A pressão popular sobre os ministros do STF está surtindo efeito. Se quem não deve não teme, por que Gilmar Mendes e Toffolli estão tão agressivos? O desespero indica que estamos no caminho da verdade!”

Chagas também foi candidato ao governo do Distrito Federal pelo PRB em 2018.

Toffoli ordenou, em março deste ano, a abertura de um inquérito para apurar “fake news” e ameaças contra o STF.

Já nesta semana, Alexandre Moraes, que é o responsável pelo inquérito criado por Toffoli, censurou o site O Antagonista e a revista Crusoé e determinou que fosse retirada do ar reportagem que cita Toffoli.

Nesta terça-feira (16), Moraes determinou a busca e apreensão em 10 endereços e determinou o bloqueio das redes sociais dos alvos da operação.

“Verifica-se a postagem reiterada em redes sociais de mensagens contendo graves ofensas a esta corte e seus integrantes, com conteúdo de ódio e de subversão da ordem”, escreveu Moraes na decisão.