Sandrera lança a música “Querida Kika”, carta escrita por Raul Seixas a ex-mulher.

O cantor e compositor capixaba Sandrera, aproveitou que seu disco “Prateleira” acabou de chegar nas lojas, e lançou um novo clip. A música “Querida Kika”, é uma carta que ele musicou do inesquecível “Maluco Beleza” Raul Seixas, falecido em agosto de 1989. Se estivesse vivo, Raul Seixas teria completado 73 anos no dia 28 de junho de 2018. Raul havia escrito a carta para sua ex-esposa Kika, expressando a saudades que sentia dela e da filha Vivi. Raul escreveu a carta em 1989 e logo em seguida faleceu. Foi sua filha, a DJ Vivi Seixas quem publicou a carta nas suas redes sociais.

A família de Raul Seixas se comoveu por ele ter musicado a carta, e postaram nas redes sociais do cantor, elogiando o seu trabalho. A música é uma homenagem de Sandrera ao seu grande ídolo Raul Seixas. A ideia de transformar a carta em melodia surgiu em 2014, quando Sandrera recém separado na época viu o documento na internet e se identificando, decidiu fazer a melodia. Ele entrou em contato com a Vivi, filha do Raul Seixas e Kika, através das redes sociais da DJ. Depois de 1 ano Sandrera enviou a música pronta para a Vivi, que mostrou para sua mãe. As duas gostaram e aprovaram, e assim o cantor teve a permissão para grava-la. O clipe foi lançado em julho.A DJ Vivi Seixas deixou um comentário na página do Facebook de Sandrera dizendo:  “Grande Sandrera!!!! Hoje mamae e eu acordamos chorando emocionadas não só com a musica mas com o clip ❤️  
Parabéns
 a equipe e principalmente a vc que nos deu esse presente 🎁
Abaixo a postagem de Sandrera nas suas redes sociais sobre a carta e a ideia de transforma-la em música:

“A Carta.

Em meados de 2014, em casa apartando briga de meus fantasmas com meus botões, ligo o computador e me deparo com uma carta do Raul Seixas para Kika Seixas, postado por Vivi Seixas. Comecei a ler a carta e uma avalanche de sentimentos desmoronou em mim naquele momento. Saudades, choro, questionamentos, despencaram em mim, pois muito do que o Raul escreveu na carta, era o que eu sentia naquele momento: “Nunca esqueci de vocês mesmo nos maus momentos”, ”vamos envelhecer juntos”. Nossa, isso era corte à carne viva!

Estava com o violão no colo em frente ao computador (mania que tenho), sem falar de um copo de café que sempre deixo ao alcance das mãos, arrisquei um acorde. E pimba! Foi feito raio de sol em fresta de janela que entra pela casa sem pedir licença, trazendo vida. Pois é, foi assim que nasceu a canção “Querida Kika”, comecei a tocar e ela já veio pronta.

Era como se a canção estive ali na carta esse tempo todo e eu a enxerguei chorando um pouquinho. Rsrsrs. Gravei em um celular e deixei ela quietinha ali no ninho. Mas meus botões à noite começaram: “Ei, ei, magrelo. Vc tem que mostrar isso para a Vivi e a Kika. Ei magrelo, tímido, medroso, vc tem que mostrar”.
Resisti algumas noites, mas eles venceram.

E agora, depois de 4 anos, ai está o meu encontro com a carta.

Bjus a todos que contribuíram com esse clip. E no mais, tocai-vos Raul!

Valeu, Kika! Valeu, Vivi! Valeu, Raul!”Aqui Sandrera explica sobre o vídeo da música “Querida Kika” onde aparece uma garotinha brincando com a sua boneca:(Mágica ou magia)

História de make of do clip Querida Kika:
Quando pensei em fazer o clip Querida Kika lembrei de cara do Capitão Garfo, personagem que Raul criou para brincar com a Vivi Seixas. Mas eu precisava de uma boneca para colocar dentro do congelador. Congelador?!😳 Isso mesmo o capitão garfo brincava de esconder a boneca da Vivi dentro congelador. Rsrs Então eu sai para comprar uma boneca.
Cheguei em uma loja apenas de bonecas.
_ Por favor senhora, eu preciso comprar uma boneca.
_ Pois não, me acompanhe por favor.
E me levou para uma sala imeeeeensa. Lotada de bonecas. Haviam umas trocentas bonecas. A senhora me olhou e disse: “É só escolher, meu filho”. Tinha bonecas que falava, que andava, etc. Trocentas bonecas na sala lotada de bonecas. Eu com meu déficit de atenção à flor da pele, não sabia para qual boneca olhar, e pensei: putz, me fufu!
De repente olhei para um canto e vi uma boneca em cima de um urso de pelúcia gigante todo rasgado, e parecia que ela olhava para mim. Quando me aproximei, pirei com o nome da boneca. Chamava-se, Vivi. Como assim, Vivi?!
Pensei com meus botões, isso é mágica ou magia. Rsrsrs”
Filha de militar, a carioca Kika Seixas viveu um tempo no exterior e ao retornar ao Brasil na década de 70, foi trabalhar na gravadora Warner onde conheceu Raul Seixas e acabaram se apaixonando. Decidiram viver juntos e no ano de 1980 se mudaram para São Paulo. Os dois fizeram umas 15 canções em parceria, entre elas  “Geração da luz”, “Coisas do coração e “DDI” (Discagem Direta Interestelar). Kika estava no terceiro mês de gravidez da Vivi quando foram viver em São Paulo. Após a separação voltou com a filha para o Rio de Janeiro, depois as duas se mudaram para os EUA. Em 1999 Kika se uniu ao cantor e compositor Arnaldo Brandão. Sandrera, o responsável pela homenagem ao Raulzito, está na estrada desde o final dos anos 90. Natural de Vila Velha (Espírito Santo), o cantor tem como influências musicais grandes ícones de primeira grandeza, como: Bob Dylan, Joan Baez, Sérgio Sampaio, Raul Seixas, Zé Geraldo, Geraldo Vandré, dentre outros da música popular e da música folk.Apresentou-se em vários estados brasileiros e no exterior: Em 2008 se apresentou no Kulturtestivalen na Noruega, e em 2009 no Mix Art Festival na França. No ano de 2010 se apresentou no espaço cultural Jean Papeau, também na França.Em 2017, lançou o clipe “Tá Freud, Baia”, hit que foi muito executado em várias rádios, tendo alcançado o primeiro lugar no Top 10 da Rádio Cidade FM. Sandrera estará entrando em estúdio em 2018 para a gravação do disco autoral, “Canções de da em doido”, que será lançado em vinil. Apaixonado pela psicanálise, nos seus projetos está um livro, “Morando com Fróid”, que está escrevendo em parceria com Dirce Becker Delwing, uma escritora do Sul.

Créditos das fotos de Sandrera: Vagna Ganem
Créditos das fotos do Raul e família: Arquivo de Vivi Seixas

Facebook: https://www.facebook.com/sandreraebanda/
Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCdX4ldykx7axH0nZzaAYYXg

Da Redação by Cleo Oshiro

Artigo anteriorJuliana Areias vem ao Japão para os 60 anos da Bossa Nova e lançar o álbum “Bossa Nova Baby”
Próximo artigoSandrino Santoro é homenageado nas comemorações dos 170 anos da Escola de Música da UFRJ
Cleo Oshiro
Sou a Cleo Oshiro, uma mineira que no ano de 2002 optou por viver no Japão com a família. Em 2010 a Revista GVK Internacional no Brasil, especializada em karaokê, me descobriu no Orkut e através da minha paixão pela música e karaokê, decidiram fazer uma matéria sobre minha vida aqui no Japão, afinal foi aqui na cidade de Kobe que ele surgiu e se espalhou pelo mundo. Com a repercussão da matéria, eles me convidaram para ser a Correspondente Internacional da revista no Japão e aceitei o desafio e não parei mais. Fui Colunista Social por 2 anos no Portal Mie/Japão, da Revista Baladas Internacional/ Suiça, na BDCiTV/EUA e na Revista Biografia/ Brasil, realizando entrevistas com várias personalidades do meio artístico. Minhas matérias são para divulgar o trabalho dos artistas, sem apelos sensacionalistas, mesmo porque meu foco é mostrar a imensidão de talentos espalhados pelo mundo sejam famosos ou não. Atualmente faço parte da equipe da Rádio Shiga, onde faço matérias artísticas e sou a idealizadora do programa musical The Best Of Brazilian Music em parceria com o Omote-san. O programa foi suspenso devido problemas interno, mas o tempo em que esteve no ar levava a música brasileira à outros países da Asia. O programa The Best Of Brazilian Music era apresentado em inglês pela DJ Shine Dory, uma filipina apaixonada pela MPB e Bossa Nova. A escolha pelo idioma foi para alcançar japoneses e estrangeiros que vivem no Japão, já que inglês é um idioma universal e os brasileiros já contavam com o acesso as informações dos artistas através das matérias publicadas por mim no site