Bia Nogueira realizará show cênico de lançamento do CD “Diversa”.

Bia Nogueira, cantora, compositora, ativista e atriz mineira, estará realizando no dia 17/08 às 20:30 no Teatro Sesi Minas, um show cênico de lançamento do CD “Diversa”, com a participação da cantora Titane e banda A Carta, formada por Débora Costa (bateria e percussão), Bruno de Oliveira (baixo) e Thiago Quintino (piano). O show cênico conta com parcerias de vida e palco, entre elas a do ator e músico Rodrigo Jerônimo (seu irmão) e de um coro de 20 mulheres que empresta voz à faixa “Mantra Diversa”.

Plural e diverso como ela própria, o álbum é, em suas próprias palavras, “o olhar de uma mulher negra que vem se construindo e construindo uma narrativa sobre o mundo percebido através dessa perspectiva”. Com influências que vão da música tradicional afro-brasileira à música eletrônica, “Diversa” conta com oito canções que intercalam composições próprias e também da novíssima cena da música mineira.

A diversidade do disco não para em seus múltiplos ritmos, mas também se encontra com outros trabalhos de Bia, que transita entre o teatro e a música. Os elementos cênicos continuam presentes na narrativa do disco e no palco, que retoma esse lado cantora após longa dedicação ao trabalho de teatro musical. O álbum traz composições autorais, participações de vários artistas da cena mineira e trazendo uma variedade de incursões em diferentes linguagens musicais. No repertório se destaca “Zé do Caroço”, canção de Leci Brandão, “Dandara” (esposa de Zumbi dos Palmares e uma das lideranças femininas negras mais importantes do século XVll na luta contra o sistema escravocrata), “Mantra Diversas”( homenagem ao festival Arte & Feminismo) entre outras.Natural de Belo Horizonte-MG , Bia se mudou para Matozinhos com a família. Despertou para a música, quando seu pai tocava em uma banda e ela o acompanhava em suas apresentações. Ao completar 10 anos, entrou para a banda tocando clarinete. No decorrer da sua trajetória, fez teatro, foi integrante de banda de rock, ingressou na oficina de teatro Rosa dos Ventos, ministrada pela cantora Titane e o diretor de teatro João das Neves,  curso de Música, deu aulas de canto. Bia participou de vários espetáculos, entre eles Galanga Chico Rei, Dandara (esposa de Zumbi dos Palmares) e Madame Satã, que conta a história de um famoso transformista do século XX, no bairro da Lapa – RJ. Madame Satã foi dirigido por João das Neves.A cantora é integrante do movimento Mulheres Criando, projeto que surgiu a partir de uma iniciativa da musicista e compositora Deh Mussulini (Belo Horizonte) com o fim de romper com o imaginário de que existem poucas mulheres criando sua própria arte. Por meio do movimento, mulheres compartilharam, no mesmo dia, vídeos na internet com performances de suas próprias composições, a partir da hashtag #mulherescriando.Desse movimento surgiu a vontade e a necessidade de movimentar a cena musical belo-horizontina para mostrar essas mulheres ao vivo, o que resultou na Mostra Mulheres Criando, de idealização das compositoras e cantoras Deh Mussulini, Bia Nogueira, Amorina e Flávia Ellen (Coletivo Mulheres Criando). O Coletivo Mulheres Criando foi o vencedor ao lado de iniciativas igualmente importantes para a música brasileira do Prêmio Profissionais da Música 2018 na modalidade Projetos Culturais Musicais

Facebook: https://www.facebook.com/bianogueirabh/
Facebook: https://www.facebook.com/mulherescriando/
Youtube: https://www.youtube.com/channel/UC0M_XTmMne7KC_YVg1jXyfQ

Da Redação by Cleo Oshiro

Artigo anteriorSandrino Santoro é homenageado nas comemorações dos 170 anos da Escola de Música da UFRJ
Próximo artigoColadera lança o disco “La Dôtu Lado” e produz mini documentário
Cleo Oshiro
Sou a Cleo Oshiro, uma mineira que no ano de 2002 optou por viver no Japão com a família. Em 2010 a Revista GVK Internacional no Brasil, especializada em karaokê, me descobriu no Orkut e através da minha paixão pela música e karaokê, decidiram fazer uma matéria sobre minha vida aqui no Japão, afinal foi aqui na cidade de Kobe que ele surgiu e se espalhou pelo mundo. Com a repercussão da matéria, eles me convidaram para ser a Correspondente Internacional da revista no Japão e aceitei o desafio e não parei mais. Fui Colunista Social por 2 anos no Portal Mie/Japão, da Revista Baladas Internacional/ Suiça, na BDCiTV/EUA e na Revista Biografia/ Brasil, realizando entrevistas com várias personalidades do meio artístico. Minhas matérias são para divulgar o trabalho dos artistas, sem apelos sensacionalistas, mesmo porque meu foco é mostrar a imensidão de talentos espalhados pelo mundo sejam famosos ou não. Atualmente faço parte da equipe da Rádio Shiga, onde faço matérias artísticas e sou a idealizadora do programa musical The Best Of Brazilian Music em parceria com o Omote-san. O programa foi suspenso devido problemas interno, mas o tempo em que esteve no ar levava a música brasileira à outros países da Asia. O programa The Best Of Brazilian Music era apresentado em inglês pela DJ Shine Dory, uma filipina apaixonada pela MPB e Bossa Nova. A escolha pelo idioma foi para alcançar japoneses e estrangeiros que vivem no Japão, já que inglês é um idioma universal e os brasileiros já contavam com o acesso as informações dos artistas através das matérias publicadas por mim no site