Saber a cor e temperatura da sua pele é um dos passos para customizar a sua imagem pessoal com equilíbrio, harmonia e estética.

Você sabe a cor e temperatura da sua pele? (www.bloguesia.com)

Falar sobre cor da pele é abordar um assunto bastante complexo, pois envolve diversos aspectos como tom, temperatura, cor superficial, cor de base/fundo, mistura de cores, harmonia, contrastes, luz, sombra, entre outros.

É um tema que exige muita atenção e sensibilidade para compreender e identificar cada tipo de pele; sobretudo, quando se trata de uma raça tão miscigenada como a brasileira. O assunto é extenso, mas através desse post, explicarei os conceitos básicos do Visagismo Philip Hallawell sobre a análise da cor da pele.

Sabe-se que, assim como há uma relação entre os formatos e feições do rosto e a personalidade, a cor da pele também revela aspectos do temperamento do indivíduo. E foi o Johannes Itten, em 1928, que fez essa descoberta quando era professor de pintura da Escola de Arte Bauhaus, na Alemanha. Como um dos maiores teóricos da cor, ele sabia que as cores expressavam emoções distintas, e notou que a personalidade do aluno se manifestava nas cores que escolhia para pintar, bem como no tom de sua pele.

Na década seguinte, partindo dessa observação, Robert Dorr criou o Color Key System (sistema de chaves de cor), que identificava as cores em duas classificações: cores quentes e cores frias. Um sistema criado para harmonizar as cores entre si, e desde então tem sido usado em diversas indústrias, inclusive a cosmética.

Já em 1942, a maquiadora e artista plástica Suzanne Caygill, realizou uma extensa pesquisa sobre a cor da pele e identificou quatro categorias básicas, cada uma com oito tons diferentes, totalizando 32 tons de pele. Ela chamou esse sistema de Color Harmony (harmonia da cor) e batizou as categorias com os nomes das estações – primavera, verão, outono e inverno – porque achava que todas as peles se relacionavam com as cores da natureza.

As peles e as suas estações. (www.bloguesia.com)

Segundo o criador do Visagismo, Philip Hallawell, o Color Harmony é, na realidade, um desenvolvimento do Color Key System, porque continua classificando as cores como quentes ou frias, mas identifica dois tipos básicos de cada, sendo primavera e outono classificadas como quentes, e verão e inverno como peles frias. Ele explica que essa regra das estações só pode ser aplicada para as peles brancas em razão das suas cores superficiais e cores de base.

  • Primavera é uma pele quente, dourada, de base terra de siena natural; relaciona-se ao frescor dessa estação. Exposta ao sol, fica dourada.
  • Outono é intensa, avermelhada e quente, de fundo verde-terra. Exposta ao sol, bronzeia e forma sardas.
  • Verão é muito clara, rosada e fria, de base azulada, relaciona-se com o céu claro e limpo dessa estação. Exposta ao sol, fica avermelhada.
  • Inverno é pálida, opaca, amarelada e fria, de base roxa. Exposta ao sol, escurece e mancha.

Veja abaixo a Tabela dos Tipos de Peles Brancas:

Tabela de peles brancas. (www.bloguesia.com). Fonte: Visagismo integrado: identidade, estilo e beleza. Philip Hallawell. Senac SP, 2010. (p. 179).

De acordo com o Philip, as peles negras contêm outras cores na sua composição, além da cor de base. Por isso, não se pode analisá-las usando o sistema das estações. A pele negra pura contém, na sua mistura de cor, mais terra de siena e pouco, ou nada, de branco. Todas as peles negras puras são de algum tipo de marrom, as mais escuras contém verde ou azul e as mais claras, de pessoas com mais miscigenação, há mais branco, o que pode resultar num tom neutro.

Jean Patton, em 1991, descreveu o sistema de classificação de peles negras, identificando 38 tons de peles negras, classificando-os em seis grupos, que se dividem em dois grupos de peles quentes, dois de peles frias e dois de peles neutras. Os nomes dos grupos foram inspirados em regiões, ritmos musicais e temperos.

  • Calipso é uma pele quente e dourada, de tom médio, vivaz e alegre, como esse ritmo musical caribenho. Exposta ao sol, fica mais dourada.
  • Spike é quente e avermelhada, de tom médio e tempero quente, como a palavra em inglês sugere. Exposta ao sol, fica mais acobreada.
  • Saara também amarelada, mas neutra e clara, lembrando os amarelos neutros das dunas desse deserto. Exposta ao sol, escurece num marrom café.
  • Nilo é neutra, muito clara e fria, como a água do rio africano desse nome. Exposta ao sol, escurece e mancha ficando meio cinzento.
  • Jazz é escura da cor de chocolate ou café, de fundo verde e fria, é intensa e imprevisível como o Jazz. Exposta ao sol, fica mais marrom.
  • Blues também é fria, escura, de fundo azulado, profunda, lenta e melancólica como esse ritmo musical. Exposta ao sol, fica mais azulada.

Veja abaixo a Tabela dos Tipos de Peles Negras:

Tabela de peles negras. (www.bloguesia.com). Fonte: Visagismo integrado: identidade, estilo e beleza. Philip Hallawell. Senac SP, 2010. (p. 187).

ATENÇÃO: O modo mais simples de saber qual é a sua cor é vendo como sua pele fica quando o bronzeado fixa.

Quanto ao temperamento:

As peles quentes estão associadas a pessoas extrovertidas e emotivas.

  • Primavera e Calipso = Sanguíneas
  • Outono e Spike = Coléricas

Já as peles frias indicam pessoas controladas e introvertidas.

  • Verão e Nilo = Melancólicas
  • Inverno e blues = Fleumáticas

As peles jazz e saara refletem um misto de temperamentos.

  • Jazz = Melancólico-colérico
  • Saara = Sanguíneo-melancólico

Porém, quanto maior a miscigenação, menos confiável é a relação entre o tom de pele e a personalidade, devendo esta ser avaliada por meio da análise do rosto e das feições, exame que fornece mais informações na avaliação da complexidade do temperamento do indivíduo. Em outro post, explicarei sobre os temperamentos de acordo com o Visagismo PH.

Para exemplificar os tons de pele e facilitar a compreensão, abaixo estão algumas imagens do livro – Visagismo integrado: identidade, estilo e beleza, do Philip Hallawell (Senac SP, 2010), capítulo ‘Análise da cor da pele’ (p. 167-198).

Juliana Soares – pele primavera (p. 171). Visagismo integrado: identidade, estilo e beleza, do Philip Hallawell (Senac SP, 2010).
Érica Werneck – pele outono (p. 173). Visagismo integrado: identidade, estilo e beleza, do Philip Hallawell (Senac SP, 2010).
Sirley Discacciati – pele inverno (p. 175). Visagismo integrado: identidade, estilo e beleza, do Philip Hallawell (Senac SP, 2010).
Andréia Vieira – pele verão (p. 177). Visagismo integrado: identidade, estilo e beleza, do Philip Hallawell (Senac SP, 2010).
Monick Machado – pele nilo (p. 181). Visagismo integrado: identidade, estilo e beleza, do Philip Hallawell (Senac SP, 2010).
Sérgio Luis – pele blues (p. 182). Visagismo integrado: identidade, estilo e beleza, do Philip Hallawell (Senac SP, 2010).
Solange Souza – pele jazz (p. 183). Visagismo integrado: identidade, estilo e beleza, do Philip Hallawell (Senac SP, 2010).
Bruna Alessandra – pele saara (p.184). Visagismo integrado: identidade, estilo e beleza, do Philip Hallawell (Senac SP, 2010).
Vivian Esteves – pele calipso (p. 185). Visagismo integrado: identidade, estilo e beleza, do Philip Hallawell (Senac SP, 2010).
Cláudia Araújo – pele spike (p. 186). Visagismo integrado: identidade, estilo e beleza, do Philip Hallawell (Senac SP, 2010).

Em seu livro ‘Visagismo Integrado: identidade, estilo e beleza’, o Philip Hallawell, relacionou as características de cada tipo de pele branca e de pele negra, descrevendo como analisá-las e apresentando a cartela de cores que indica as melhores combinações, partindo do princípio de que cada tipo de pele se harmoniza com certas cores e contrasta com outras, e que os contrastes anulam as características positivas da pele.

As cores que não pertencem à nossa cartela tornam nossa pele pálida, avermelhada ou esverdeada, desfavorecendo nossa imagem e causando um impacto negativo. Já as cores pessoais iluminam o rosto, e, em sintonia com a cor da roupa, acessórios, cabelo e maquiagem, favorecem a aparência como um todo, tornando-a mais interessante, harmoniosa e atraente.

Em outro post, explicarei sobre as cartelas de cores para cada tipo de pele. Lembrando que cada cor produz um efeito emocional, e isso também será assunto para outro post.

 

O efeito emocional das cores. (www.bloguesia.com)

Mas ATENÇÃO, não basta seguir à risca a cartela de cores sugerida para cada cor de pele, como se vê nas consultorias de imagem tradicionais. A consultoria baseada no Visagismo Philip Hallawell não é intuitiva, possui base científica. Considera a harmonia das cores com o tom e temperatura da pele, mas sobretudo, preza pelo equilíbrio das cores com o temperamento do indivíduo.

Pois como bem explica o Philip “Além de saber o tom da sua pele e conhecer a cartela de cores relacionada a ele, a pessoa também tem de levar em conta o próprio temperamento. Muitas se sentirão desconfortáveis ou até desequilibradas se seguirem cegamente a cartela de cores”.

Com a minha Consultoria Design Pessoal você recebe toda orientação para adequar a sua imagem com harmonia e estética, respeitando a sua identidade. Expresse o melhor da sua imagem! Quer saber mais? Basta acessar www.designpessoal.com e ficar por dentro de tudo.

Um super e beijo até mais!

Taiara Desirée

Fonte do post: Visagismo integrado: identidade, estilo e beleza / Philip Hallawell. 2 ed. São Paulo. Editora Senac São Paulo, 2010. www.visagismo.com.br 
Artigo anteriorMaria Rita é coroada Musa do Rio Samba & Carnaval 2018.
Próximo artigoForte nevasca atinge Tóquio
Taiara Desirée
Taiara Desirée é Fashion Blogger, premiada como Youtuber-Blogger do Ano pela ABI-Internacional no Press Award USA 2018. É Advogada, Pós-graduada em Direito Ambiental e Membro das Comissões de Direito da Moda e de Direito Ambiental da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional PB. Trabalhou como Assessora Jurídica da Promotoria de Justiça do Meio Ambiente da Capital, no MPPB. Morou em Miami e Nova Iorque e, ao retornar para o Brasil, decidiu empreender, trabalhando em seus projetos. Foi na área da moda e estilo que encontrou a sua realização profissional e aplica os princípios da sustentabilidade na sua atuação, disseminando uma moda com propósito e o consumo consciente. ​ Formada em Visagismo pelo Phillip Hallawell, é Colunista e Apresentadora de Moda e Estilo em rádio, sites e jornais no Brasil, Japão, USA, Canadá e Reino Unido. Fundadora do Bloguesia, um blog sobre moda, beleza e estilo de vida que existe há quase 1 década e conta com mais de 4 milhões de visualizações pelo mundo. É empresária, palestrante de imagem, estilo e empoderamento pessoal, Jornalista e Membro da Brazilian International Press Association, sendo oficialmente registrada como imprensa brasileira no exterior. Segue fazendo diversos cursos em múltiplas áreas, assim como nas áreas de moda, imagem e estilo, atuando em projetos neste segmento, entre eles, é idealizadora do Design Pessoal. Quer ficar por dentro de tudo? É só favoritar o Bloguesia e também seguir nas redes sociais!