25 C
Kōnan
quinta-feira, 1 de outubro de 2020

EUA anunciam, oficialmente, a saída da UNESCO em apoio a Israel

Donald Trump já havia criticado, anteriormente, a UNESCO por considerá-la anti-israelita.

Estatística COVID19 - Coronavírus

Total Global
Última atualização em:
Casos

Mortes

Recuperados

Active

Casos Today

Mortes Today

Critical

Affected Countries

Bolsa de Valores de Tóquio suspende as negociações

Bolsa de Valores de Tóquio suspende as negociações A Bolsa de Valores de Tóquio suspendeu todas as negociações devido a problemas no sistema. Ela diz...

China anuncia prisão de 12 manifestantes de Hong kong

China anuncia prisão de 12 manifestantes de Hong kong Promotores chineses dizem ter prendido formalmente 12 ativistas pró-democracia de Hong Kong que foram detidos por...

Bolsonaro lamenta declarações de Biden sobre Amazônia

Bolsonaro lamenta declarações de Biden sobre Amazônia O presidente Jair Bolsonaro lamentou nesta quarta-feira (30) as declarações do candidato à presidência dos Estados Unidos, Joe...

Covid-19: Anvisa reduz exigências para análise de registro de vacinas

Covid-19: Anvisa reduz exigências para análise de registro de vacinas A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicou uma nota técnica para simplificar o procedimento...

Covid-19 Brasil: 4.810.935 casos confirmados, 4.180.376 recuperados, 143.952 óbitos e 486.607 em recuperação

Covid-19 Brasil: 4.810.935 casos confirmados, 4.180.376 recuperados, 143.952 óbitos e 486.607 em recuperação O boletim diário do Ministério da Saúde, divulgado nesta quarta-feira (30), revela que o...

EUA anunciam, oficialmente, a saída da UNESCO em apoio a Israel.

Donald Trump já havia criticado, anteriormente, a UNESCO por considerá-la anti-israelita.

Os EUA anunciaram, nesta quinta-feira (12), que irão sair da UNESCO por considerarem que a organização é anti-israelita.

Em comunicado, o Departamento de Estado relata ter notificado a diretora-geral da UNESCO, Irina Bokova, da decisão de se retirar da organização e de procurar, em vez disso, “uma posição de observador” para contribuir com as perspetivas e conhecimentos dos EUA em alguns assuntos que considera importantes, como o patrimônio mundial, a defesa da liberdade de imprensa e a promoção da colaboração científica e educação.

“Esta decisão não foi tomada de repente e reflete as preocupações dos EUA com os atrasos crescentes na UNESCO, a necessidade de uma reforma fundamental da organização e o permanente preconceito contra Israel” na organização, segundo o comunicado, que indica a saída para 31 de dezembro de 2018, permanecendo até lá como membro de pleno direito

Os Estados Unidos já tinham deixado de financiar a organização após ter sido aprovada a integração da Autoridade Palestina entre os seus membros, em 2011. Mas o Departamento de Estado mantinha um gabinete na sede da organização, em Paris.

Atualmente, Washington deve cerca de 550 milhões de dólares à instituição.

Washington tinha avisado, no início de julho, da sua intenção de reexaminar a sua ligação com a UNESCO, após a decisão de declarar a cidade velha de Hebron, na Cisjordânia ocupada, “zona protegida” do patrimônio mundial.

A embaixadora norte-americana na ONU, Nikki Haley, qualificou a decisão como uma “afronta à História” e considerou que lança “ainda mais descrédito sobre uma agência da ONU já altamente discutível”.

A diretora-geral da UNESCO reagiu ao anuncio desta quinta-feira declarando “lamentar profundamente” a decisão norte-americana. “A universalidade é essencial à missão da UNESCO para construir a paz e a segurança internacionais face ao ódio e à violência, pela defesa dos direitos humanos e da dignidade humana”, disse Bokova em comunicado.

O anúncio da saída ocorre no momento em que a UNESCO está votando a escolha de um novo diretor.

SourceExpresso

Artigos relacionados

China anuncia prisão de 12 manifestantes de Hong kong

China anuncia prisão de 12 manifestantes de Hong kong Promotores chineses dizem ter prendido formalmente 12 ativistas pró-democracia de Hong Kong que foram detidos por...

Bolsonaro lamenta declarações de Biden sobre Amazônia

Bolsonaro lamenta declarações de Biden sobre Amazônia O presidente Jair Bolsonaro lamentou nesta quarta-feira (30) as declarações do candidato à presidência dos Estados Unidos, Joe...

Coreia do Sul recomenda que as pessoas não viajem durante o feriado de outono

Coreia do Sul recomenda que as pessoas não viajem durante o feriado de outono O governo da Coreia do Sul está pedindo às pessoas que...

ÁSIA

ÚLTIMAS NOTÍCIAS - BRASIL

Bolsonaro lamenta declarações de Biden sobre Amazônia

0
Bolsonaro lamenta declarações de Biden sobre Amazônia O presidente Jair Bolsonaro lamentou nesta quarta-feira (30) as declarações do candidato à presidência dos Estados Unidos, Joe...
Translate »