Alexandra Nicolas: O talento e gingado de uma Maranhense. Alexandra Nicolas nasceu em São Luis, no Maranhão, filha de mãe solteira, criada pela avó e pela tia. Nada melhor do que ser criada por três mulheres! Começou a cantar aos 12 anos de idade. Passou sua infância cantando em rodas de samba da família festeira que, em toda data comemorativa, solicitava a menina cantora.

480329_456867187667327_932986454_nAinda no ensino médio, já tinha uma banda formada, chamada Hocus Pocus, que animava as festas da escola e os aniversários dos amigos.

Começou a cantar profissionalmente aos 17 anos, quando o Secretário de Comunicação do Estado do Maranhão ouviu sua banda e a convidou para sua primeira estreia, na antiga Éden Galeria na Rua do Egito, no Centro de São Luis.

1381720_726780414009335_1304617202_nNos anos que seguiram, teve o privilégio de trabalhar com os mestres Hilton Assunção, Marcelo Carvalho e Papete.

Aos 18 anos de idade, recebeu patrocínio exclusivo da multinacional ALUMAR, que a levou ao Rio de Janeiro a fim de estudar teatro com a mestra Camila Amado, canto com Paulo Barcelos e Ballet Flamenco na Casa da Espanha.

25 de agosto de 1992 Alexandra iniciava oficialmente a carreira de cantora. Esse foi o seu primeiro show solo com produção de Pierre Barroso e participações especiais de Josiais Sobrinho.

Foram mais de dois meses de ensaio para a realização do show. Pierre Barroso, o produtor, disse “apostar tudo” no talento de Alexandra e definiu o show como uma “super-produção”.

10917276_890637447623630_483603366092127870_nEm função de seu patrocínio, se apresentou em vários espetáculos musicais em São Luis do Maranhão entre 1991 e 1997.

A carreira estourou em São Luis numa Sexta-feira 13 de Novembro de 1992. No show “Sedução”, Alexandra se apresentou para mais de 2.000 pessoas no Hotel Quatro Rodas em São Luis do Maranhão. O show foi dirigido por Hilton Assunção e produzido por Pergentino Holanda.

Para o primeiro show, escolheu um repertório variado, que foi do Tom Jobim a Luis Melodia, passando por compositores maranhenses como Erasmo Dibel e o próprio Josias Sobrinho, que fez um dueto com Alexandra interpretando “Papagaio Amarelo”.

Acompanhada pelo pianista Halley Flamarion, Alexandra voltou a se apresentar no Hotel Quatro Rodas num show intimista. Com poucos meses de atividade, ela já era uma das intérpretes mais solicitadas da cidade.

Foram mais de dois meses de ensaio para a realização do show. Pierre Barroso, o produtor, disse “apostar tudo” no talento de Alexandra e definiu o show como uma “super-produção”.

Alexandra pesquisa incansavelmente as raízes da música brasileira, e mais especificamente as cantoras brasileiras.

13770510_1186244931396212_2712575509866283915_nEm 2003. Depois de concluir seus estudos no Rio de Janeiro e voltar a São Luis, Alexandra concebeu o show Balangandãs para cantar as rainhas do rádio. Balangandãs marcou também o início do trabalho de Alexandra com o mestre Urias de Oliveira, que seria a partir de então seu Diretor Cênico. Com direção musical de Jair Torres, Alexandra cantou os maiores sucessos de Carmen Miranda, Clara Nunes, João do Vale, Elizeth Cardoso e Emilinha Borba.

Em 2009 e 2010, depois de uma pesquisa de 5 anos, apresentou no Teatro Arthur Azevedo em São Luis o espetáculo Senhora das Candeias, patrocinado pela Eletrobrás. Este trouxe ao palco canções inéditas do compositor brasileiro mais prolífico, Paulo Cesar Pinheiro, que brindou a cantora com um repertório exclusivo.

Em 2009, meses antes de realizar Senhora das Candeias. Alexandra encontrou Ricarte Almeida na praia, que a convidou a cantar no Clube do Choro, acompanhada pelo Instrumental Pixinguinha.

1901154_890638790956829_760075812192652960_nDito e feito. Depois de 2 ensaios com os músicos, Alexandra assumiu o palco do Clube do Choro e mostrou por que veio. Com um repertório montado com canções de Carmen Miranda, Elza Soares e Clara Nunes, tirou o público de seus assentos.

Ainda em 2009. Casada. Dois filhos. Alexandra tinha tentado realizar Senhora das Candeias em 2006, durante sua segunda gravidez. Depois de quase desmaiar durante um ensaio, viu-se forçada a esperar para voltar ao palco. Mas voltou com tudo. Presenteada com 20 canções inéditas de Paulo Cesar Pinheiro, Alexandra concebeu um espetáculo grandioso com 8 músicos e 8 bailarinos, apresentado no Teatro Arthur Azevedo no dia 15 de outubro de 2009.

603520_456067851080594_1316185722_nA repercussão foi tão grande que o compositor a convidou para gravar um disco desse repertório no Rio de Janeiro. Depois de tantos convites para gravar, esse ela não iria recusar…

Em 2012, a convite da gravadora Acari Records, gravou o disco “Festejos“, com Direção Musical de Luciana Rabello, arranjos de João Lyra e Maurício Carrilho. Para preparar o repertório do CD, Alexandra teve acesso ao baú de inéditas do compositor Paulo Cesar Pinheiro, e de lá pescou 13 canções compostas em parceria com Wilson das Neves, João Lyra e Roque Ferreira. O CD foi lançado em 2013 no Teatro Rival no RJ e na plateia Alexandra foi recebida pela corte do samba carioca, com dois mestres na plateia, o compositor do seu disco e o mestre Wilson das Neves.

13936561_657250451096119_925393481_nAlexandra teve participações de músicos cariocas consagrados, os violonistas João Lyra, Mauricio Carrilho, o bandolinista Pedro Amorim, o pandeirista Celsinho Silva, entre outros. A direção musical foi da cavaquinista Luciana Rabello (diretora artística do selo Acari Records, que lança o projeto).

Segundo Paulo Cesar Pinheiro, “a maranhense conseguiu um belo disco”. O Poeta escreveu o seguinte texto para o encarte do CD:

“Alexandra queria fazer um disco louvando as mulheres brasileiras, trabalhadoras e festeiras, do sertão e do litoral, da roça e do subúrbio, da capital e do interior. Ofereci os meus guardados, onde ela mergulhou por um bom tempo.

11235439_952782464742461_4485174595899619312_nDe lá ela trouxe as morenas artesãs do porto de Cabedelo na Paraíba, as iaiás do samba da região da cana do Estado do Rio e Pernambuco, as dançadeiras soberanas dos ritos de caboclo, as avós e bisavós ancestrais de todos os ritmos índios e negros país afora, as lavadeiras dos cantos de lagoas e rios do Oiapoque ao Xuí, as dançarinas do boi-bumbá de sua terra, as feiticeiras da Casa de Mina mirongando ao som do pé-no-barro do tambor de crioula, as arrumadoras da bandeira do Divino, as passistas dos terreiros das escolas de samba, todas rodando as suas sete saias nas rodas de coco e curimã do Brasil mestiço.

Acho que a maranhense conseguiu um belo disco. Abram alas pra ela que a festa começou.”

Alexandra também é formada em Fonoaudiologia pela Universidade Estácio de Sá-RJ. Atuou como clínica durante seis anos e coordenou o curso de Fonoaudiologia do Centro Universitário do Maranhão por cinco anos.

A cantora estará lançando um novo clipe semana que vem, com a música de trabalho do novo disco “Bulir com Tu”.

Website: http://alexandranicolas.com.br/

Facebook: https://www.facebook.com/AlexandraNicolasMA/

Youtube: https://www.youtube.com/user/alexandranicola

Radio Shiga by Cleo Oshiro Oficial Page: http://wp.radioshiga.com/programacao/

Artigo anteriorChina envia policiais ao Rio para garantir segurança de seus cidadãos
Próximo artigoCOLETIVO ORIENTE-SE: Conheça o projeto de atores orientais brasileiros.
Cleo Oshiro
Sou a Cleo Oshiro, uma mineira que no ano de 2002 optou por viver no Japão com a família. Em 2010 a Revista GVK Internacional no Brasil, especializada em karaokê, me descobriu no Orkut e através da minha paixão pela música e karaokê, decidiram fazer uma matéria sobre minha vida aqui no Japão, afinal foi aqui na cidade de Kobe que ele surgiu e se espalhou pelo mundo. Com a repercussão da matéria, eles me convidaram para ser a Correspondente Internacional da revista no Japão e aceitei o desafio e não parei mais. Fui Colunista Social por 2 anos no Portal Mie/Japão, da Revista Baladas Internacional/ Suiça, na BDCiTV/EUA e na Revista Biografia/ Brasil, realizando entrevistas com várias personalidades do meio artístico. Minhas matérias são para divulgar o trabalho dos artistas, sem apelos sensacionalistas, mesmo porque meu foco é mostrar a imensidão de talentos espalhados pelo mundo sejam famosos ou não. Atualmente faço parte da equipe da Rádio Shiga, onde faço matérias artísticas e sou a idealizadora do programa musical The Best Of Brazilian Music em parceria com o Omote-san. O programa foi suspenso devido problemas interno, mas o tempo em que esteve no ar levava a música brasileira à outros países da Asia. O programa The Best Of Brazilian Music era apresentado em inglês pela DJ Shine Dory, uma filipina apaixonada pela MPB e Bossa Nova. A escolha pelo idioma foi para alcançar japoneses e estrangeiros que vivem no Japão, já que inglês é um idioma universal e os brasileiros já contavam com o acesso as informações dos artistas através das matérias publicadas por mim no site