Paulo Kalu: Cantor e Produtor Musical fala sobre o projeto Reticenciar. Atualmente morando em São Paulo, Paulo Kalu está remodelando o show Reticenciar… para estrear em Março de 2016 com músicos locais.

Paulo_Kalu_08

Paralelamente a carreira musical, Paulo é produtor musical no Nacena Estudios, um dos maiores estúdios da America Latina, onde acaba de produzir uma cantora em início de carreira, chamada Jane Oliveira . Anteriormente produziu uma banda da Califórnia, chamada The Rusty Pistols.Paulo_Kalu_01

No início de 2016, Paulo Kalu começa a atualizar o Press Cliping com fotos novas, videos novos e show com cara nova.

Reticenciar… O Show

Reticências (…), segundo as regras da língua portuguesa, serve para indicar continuidade de uma ação ou fato.

Partindo desse principio nasce o projeto Reticenciar…, um espetáculo autoral direcionado para todos os públicos e que vem se desenvolvendo por si só a cada nova apresentação.

Paulo_Kalu_02Baseado na representação gráfica das reticências (…), os três pontinhos representam o trio musical que é a base de sustentação do show, sendo eles representado por Jefferson Portela (Percuteria, e Samples), Alan Kardec (bandolim, viola caipira e baixo) e Paulo Kalu nos violões.

O show

Baseado no processo do disco, inicialmente, o espetáculo “Reticenciar…” foi concebido para ser um show de um homem só, em que Paulo, além de tocar violão e cantar, operaria recursos eletrônicos com arranjos complementares. Em Fortaleza, o espetáculo ganhou o
formato de trio, que estreou no Sesc Iracema dia sete de Novembro de 2014.

“Senti a necessidade de agregar outros elementos. O nome do Jeferson Portela surgiu naturalmente, quando cheguei em Fortaleza. Ele abraçou o projeto de uma forma muito fraternal”, destaca o músico.

A presença marcante do banjo nos arranjos original do disco fez com que Alan Kardeck também fosse convidado, agregando a viola caipira e o bandolim, instrumentos populares no Brasil que se assemelham ao banjo.Paulo_Kalu_03

Andanças

Com mais de dez anos dedicados exclusivamente à música, Paulo Kalu inaugura uma nova fase como artista. O músico, que dedicou maior parte dessa trajetória à função de intérprete, em Fortaleza, mas especialmente nas cidades da Serra da Ibiapaba, partiu em 2012 em turnê pela América Central, com o espetáculo “Brasilidades”, acompanhado pelos produtores Natália Rocha e Rafael Evangelista.

A turnê durou um ano e passou por vários países da América Central, entre eles, Nicarágua, Costa Rica, Honduras e El Salvador. Em 2013, Paulo Kalu deu sequência ao trabalho de intérprete, dividindo o palco com grandes artistas que cruzaram seu caminho na América Central, como Perrozompopo, Kátia Cardenal, Nina y Sebastian, Friguey, Rialengo, Elsa Basil e Duo Finlândia.

Paulo_Kalu_07EP Reticenciar…

Durante o período em que esteve fora do País, Paulo começou reunir suas próprias composições, que aos poucos ganharam corpo e maturidade para dar origem ao seu primeiro disco. O álbum, foi gravado no ano passado, durante estadia de Paulo Kalu na Nicarágua.

“‘Reticenciar…’ foi todo gravado por mim, arranjo por arranjo, instrumento por instrumento, em uma espécie de laboratório sonoro”, reforça o músico, que além de tocar todos os instrumentos, também operou as gravações em um home studio.

“Eu baixava os tutoriais pela internet e começava a estudar como tocar, como gravar cada instrumento”, lembra sobre o processo de gravação. O disco foi masterizado e finalizado por Chato Hernández, em El Salvador.

Radio Shiga by Cleo Oshiro

Facebook: https://www.facebook.com/PauloKalu
Canal Youtube: https://www.youtube.com/user/paulokalubrasil

http://paulokalu.blogspot.jp

Paulo Kalu: Cantor e Produtor Musical fala sobre o projeto Reticenciar
Paulo Kalu: Cantor e Produtor Musical fala sobre o projeto Reticenciar
Artigo anteriorFukushima ainda enfrenta a crise de água contaminada
Próximo artigoFlorada das ameixeiras no Japão
Cleo Oshiro
Sou a Cleo Oshiro, uma mineira que no ano de 2002 optou por viver no Japão com a família. Em 2010 a Revista GVK Internacional no Brasil, especializada em karaokê, me descobriu no Orkut e através da minha paixão pela música e karaokê, decidiram fazer uma matéria sobre minha vida aqui no Japão, afinal foi aqui na cidade de Kobe que ele surgiu e se espalhou pelo mundo. Com a repercussão da matéria, eles me convidaram para ser a Correspondente Internacional da revista no Japão e aceitei o desafio e não parei mais. Fui Colunista Social por 2 anos no Portal Mie/Japão, da Revista Baladas Internacional/ Suiça, na BDCiTV/EUA e na Revista Biografia/ Brasil, realizando entrevistas com várias personalidades do meio artístico. Minhas matérias são para divulgar o trabalho dos artistas, sem apelos sensacionalistas, mesmo porque meu foco é mostrar a imensidão de talentos espalhados pelo mundo sejam famosos ou não. Atualmente faço parte da equipe da Rádio Shiga, onde faço matérias artísticas e sou a idealizadora do programa musical The Best Of Brazilian Music em parceria com o Omote-san. O programa foi suspenso devido problemas interno, mas o tempo em que esteve no ar levava a música brasileira à outros países da Asia. O programa The Best Of Brazilian Music era apresentado em inglês pela DJ Shine Dory, uma filipina apaixonada pela MPB e Bossa Nova. A escolha pelo idioma foi para alcançar japoneses e estrangeiros que vivem no Japão, já que inglês é um idioma universal e os brasileiros já contavam com o acesso as informações dos artistas através das matérias publicadas por mim no site