Wesley D’Amico: Artista é o criador da menor Bandeira Brasileira. Wesley D’Amico trabalha como artista plástico nas horas vagas e criou um quadro com uma bandeira do Brasil de apenas 0,7 milímetro (o tamanho de um cristal de açúcar), por incrível que pareça, uma obra de arte com menos de 1 milímetro. Natural de São Bernardo do Campo- SP, o artista autodidata e que se considera um visionário é morador de Mombuca (SP), Wesley acredita ter feito a menor reprodução da bandeira brasileira no mundo e tem esperanças de entrar no Guinness World Records, o livro dos recordes, mas ele afirma que existe uma grande burocracia para conseguir fazer parte do Guinness Book, mas ele conseguiu entrar para o RankBrasil com sua minúscula bandeira brasileira.

11427161_758355114277058_1744151254666217731_n

D´Amico é mecânico profissional, mas em 2000 recebeu a proposta de trabalhar com madeira, já que não estava exercendo a profissão e foi a partir desse momento que resolveu
a se aventurar nas suas criações de arte.

Ao criar o quadro, Wesley não pensava em entrar para o Guinnes Book, mas com o tempo descobriu que não havia uma obra tão pequena como a dele e decidiu buscar informações sobre como entrar para o livro dos recordes.

Wesley usou uma agulha bem fina, e com o auxílio de uma lupa (comprada no 1, 99), pintou com tinta óleo a bandeira em papel cartão que foi colocado numa moldura de 1, 3 milímetro. O trabalho levou quatro dias para ficar pronto e o artista diz que para conseguir exito não podia nem respirar, senão alterava o movimento dos dedos. A primeira peça criada por ele tinha o tamanho de um dedo, mas viu que seria possível diminuí-la.11401507_758354730943763_2943151118188888491_n

Além da arte em miniatura, D´Amico usa retalhos de madeira que são transformados em arte e queimados e fotografados criando assim uma Arte em Chamas. O artista explica que o
movimento das chamas produz algo único e mexe com a alma, o sistema de ensino e o inesperado e essa é a razão de atear fogo as suas criações, enquanto suas obras são consumidas pelo fogo, ele registra a fusão dos dois elementos (Arte e Fogo) através das fotos, produzindo algo novo e inusitado, que se não houvesse os registros fotográficos, seriam apenas uma história a ser contada.

D´Amico diz que suas obras em madeira ao se transformarem em cinzas significam:
“Inovar….modificar…..transformar…..mudar de um estado para o outro transformando usando a técnica do fogo….Registrando em foto o que não mais existe…..Colocando a matéria em cinzas negras o que Eu construí com cores….Transformando e alterando formas de Arte ou Vida….saindo da rotina conceitual sem medo de mudar….O fogo transforma e colore em minutos e destrói uma Vida ou uma Arte, mas na memoria fica o que um dia Amei, mas precisei destruí-la para transformá-la em fotografia, uma foto me traz lembranças mas não me traz a Vida de estar com a Arte…..”

10547586_582071531905418_6383894463312745531_nWesley fez um curso de joalheria na cidade de Limeira-SP antes da sua criação e fazia quadros de 10 milímetros, onde foi diminuindo até chegar no tamanho desejado. Antes de fazer a pintura ele fez a moldura, afinal não tinha certeza se seria capaz de criar algo tão minúsculo, mesmo porque não tinha ferramentas disponíveis para trabalhar. Havia a necessidade de uma lima para ser usada no acabamento das peças serradas, mas na falta de tal ferramenta ele usou a própria serra e logo em seguida o desafio de fazer a pintura homenageado o Brasil. Até alcançar o seu objetivo, Wesley fez umas 20 pinturas, até chegar onde queria e houve vários acontecimentos no decorrer do processo, como o azul do quadro, que foi uma gota de tinta que caiu bem no centro dele finalizando a obra de arte, mas no momento um vento soprou jogando o quadro para bem longe, mas Wesley o recuperou. O artista diz que o resultado foi obra de um acidente que deu certo.

Wesley define suas habilidades como ter desenvolvido o Labirinto, uma arte geométrica e simbólica, onde o formato inexistente e depois o MosBor, que é um mosaico de fotos com borboletas desfragmentadas, revelando imagens fantásticas, mas que pretende estar sempre se renovando.

10474314_758354984277071_427924425898734735_n

A arte em miniatura é uma obra que chama a atenção por sua complexidade e por haver uma certa dificuldade na sua execução, mas Wesley sabe que está diante de um mercado exigente e restrito e que será necessário um esforço constante para conseguir conquistar o seu espaço no mundo das artes.

Radio Shiga by Cleo Oshiro

Website: http://wesleydamico.blogspot.com.br/

Artigo anteriorTragédia em Mariana: Uma ferida que levará mais de 10 anos para cicatrizar
Próximo artigoPrefeitura de Koka em Shiga realiza treinamento contra desastres
Cleo Oshiro
Sou a Cleo Oshiro, uma mineira que no ano de 2002 optou por viver no Japão com a família. Em 2010 a Revista GVK Internacional no Brasil, especializada em karaokê, me descobriu no Orkut e através da minha paixão pela música e karaokê, decidiram fazer uma matéria sobre minha vida aqui no Japão, afinal foi aqui na cidade de Kobe que ele surgiu e se espalhou pelo mundo. Com a repercussão da matéria, eles me convidaram para ser a Correspondente Internacional da revista no Japão e aceitei o desafio e não parei mais. Fui Colunista Social por 2 anos no Portal Mie/Japão, da Revista Baladas Internacional/ Suiça, na BDCiTV/EUA e na Revista Biografia/ Brasil, realizando entrevistas com várias personalidades do meio artístico. Minhas matérias são para divulgar o trabalho dos artistas, sem apelos sensacionalistas, mesmo porque meu foco é mostrar a imensidão de talentos espalhados pelo mundo sejam famosos ou não. Atualmente faço parte da equipe da Rádio Shiga, onde faço matérias artísticas e sou a idealizadora do programa musical The Best Of Brazilian Music em parceria com o Omote-san. O programa foi suspenso devido problemas interno, mas o tempo em que esteve no ar levava a música brasileira à outros países da Asia. O programa The Best Of Brazilian Music era apresentado em inglês pela DJ Shine Dory, uma filipina apaixonada pela MPB e Bossa Nova. A escolha pelo idioma foi para alcançar japoneses e estrangeiros que vivem no Japão, já que inglês é um idioma universal e os brasileiros já contavam com o acesso as informações dos artistas através das matérias publicadas por mim no site